As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

O Céu de Suely vence em Havana

Luiz Zanin Oricchio

15 de dezembro de 2006 | 16h22

Amigos, é com prazer que anuncio para vocês que O Céu de Suely, de Karim Aïnouz, venceu o 28º Festival del Nuevo Cine Latinoamericano, em Havana, recebendo o Gran Coral. Hermila Guedes ganha o troféu Coral de melhor atriz. O Brasil venceu ainda os prêmios de 3º Coral (Os 12 Trabalhos), Prêmio Especial do Júri (Proibido Proibir), música (Chico Buarque por O Maior Amor do Mundo) e Som (Antonia).

Também devo dizer que não tive de fazer a mínima força para trazer o prêmio para o Brasil. O Céu de Suely encantou à primeira vista o júri formado pelos diretores Tristán Bauer (Argentino), Fina Torres (Venezuela), Daniel Diaz Torres (Cuba), pelo ensaísta canadense Hervé Fischer e por este que lhes escreve. Foi eleito por unanimidade. Também unânime foi a premiação da atriz Hermila Guedes, que está aqui, em Cuba, feliz da vida. Segue abaixo a lista dos prêmios.

PRÊMIOS CORAL DE FICÇÃO

Primeiro prêmio (Gran Coral): O Ceú de Suely, de Karim Aïnouz (Brasil)
Segundo prêmio (Segundo Coral): O Caminho de São Diego, de Carlos Sorín (Argentina)
Terceiro prêmio (Tercer Coral): Os 12 Trabalhos, de Ricardo Elias (Brasil)
Prêmio Especial do Júri: Proibido Proibir, de Jorge Durán (Brasil)
Melhor atriz: Hermila Guedes, por O Céu de Suely (Brasil)
Melhor ator: Julio Chávez por El Custodio (Argentina)
Direção: Rodrigo Moreno para El Custodio (Argentina)
Roteiro: Daniel Burman por Derecho de Familia (Argentina)
Edição: Alberto Ponce por Crônica de uma Fuga (Argentina)
Som: João Godoy e EduardoSantos por Antonia (Brasil)
Música: Chico Buarque, por O Maior Amor do Mundo, de Cacá Diegues
Direção de Arte: Vivian del Valle, por La Edad de la Peseta (Cuba)
Melhor curta-metragem: Gozar, Comer, Partir, de Arturo Infante (Cuba)
Menção do júri: Páginas del Diario de Mauricio, de Manuel Pérez (Cuba)
Melhor filme de diretor estreante: El Benny, de Jorge Luís Sánchez
Melhor documentário: En el Hoyo, de Juan Carlos Rulfo (México)
Prêmio Especial do Júri: O Fim e o Princípio, de Eduardo Coutinho (Brasil)
Prêmio da Fipresci: Nacido y Criado, de Pablo Trapero (Argentina)
Prêmio Signis: Crônica de uma Fuga, de Adrian Caetano (Argentina)
Prêmio aquisição Canal Telesur: Colegiales, de Gustavo Lasquier (Argentina) e San Ernesto Nace en La Higuera, de Isabel Santos e Rafael Solis (Cuba)
Melhor Cartaz: do filme Oscar Niemeyer: a Vida É um Sopro, de Fabiano Maciel
Melhor filme estrangeiro sobre América Latina: Estado de Miedo: la Verdad sobre el Terrorismo, de Pamela Yates (EUA)

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.