Morre Jean-Paul Belmondo, o rosto da nouvelle vague
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Morre Jean-Paul Belmondo, o rosto da nouvelle vague

Luiz Zanin Oricchio

06 de setembro de 2021 | 11h59

Aos 88 anos, faleceu hoje em Paris Jean-Paul Belmondo, ator de Acossado, de Jean-Luc Godard, um dos filmes-símbolo da nouvelle vague francesa. Belmondo interpreta o marginal Michel Poiccard nesse filme-policial atípico. Contracena com Jean Seberg, no papel de uma garota norte-americana que vive em Paris. É uma das mais famosas histórias de amor-bandido do cinema. 

Com Godard ele fez também o conhecidíssimo Pierrot le Fou, lançado no Brasil com o título de O Demônio das Onze Horas, além de Uma Mulher é uma Mulher. Trabalhou com Louis Malle (Le Voleur, O Ladrão), François Truffaut (A Sereia do Mississipi), Claude Chabrol (Docteur Popaul), Alain Resnais (Stavsky), Henri Verneuil (Os Abutres), Claude Lelouch (Os Miseráveis), Blier (Os Atores), entre muitos outros filmes. Belmondo filmou no Brasil O Homem do Rio, de Philippe de Broca. 

Rosto marcante, nariz de boxeador, Belmondo se prestava particularmente a interpretar tipos durões. Marcou a cena cinematográfica francesa (e mundial) por mais de 50 anos. Como disse em seu obituário o diário francês Libération, foi homem de poucos prêmios, porém adorado pelo público. Afinal, esse é o maior troféu que um ator pode receber. 

Tudo o que sabemos sobre:

Jean-Paul Belmondo