As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Morre Cachao López, o rei do ritmo

Luiz Zanin Oricchio

22 de março de 2008 | 22h01

Soube agorinha da morte de uma das minhas grandes admirações musicais, o cubano Ignácio “Cachao” López, aos 89 anos.

Cachao saiu de Cuba em 1962 e vivia nos Estados Unidos. É um dos responsáveis pela divulgação mundial do ritmo cubano. Ou melhor, “dos” ritmos cubanos, pois a ilha é uma usina rítmica. Tocava contrabaixo mas era também compositor e chefe de orquestra.

Impossível descrever sua música; só ouvindo mesmo. Ouvindo-a, não dá para ficar parado ou indiferente. Andy Garcia, que é de origem cubana, dirigiu um documentário sobre o músico com o título sintomático de Cachao – como su ritmo no hay dos. E não havia mesmo.

Lembro agora de um CD que Cachao gravou em parceria com o saxofonista Paquito d’Rivera. É para ouvir de joelhos, em especial uma faixa chamada Sigue a Paquito… se Puedes.Adoro Cachao tocando o “son” cubano e todo esse complexo de ritmos caribenhos hoje impropriamente banalizados sob o rótulo de “salsa”.

Mas era admirável também nas famosas “Descargas”, sessões de música improvisadas, jam sessions caribenhas. Há vários CDs disponíveis com as Descargas tendo Cachao como âncora, ele e seu contrabaixo inimitável.

Cachao adicionou beleza, ritmo e criatividade ao mundo.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.