As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Manaus: Tengri

Luiz Zanin Oricchio

08 de novembro de 2008 | 17h52

MANAUS – Legal o filme do Quiguistão (produção francesa) Tengri, de Marie Jaoul de Poncheville. Sobre uma garota, casada, cujo marido está sempre na guerra e se apaixona por um marinheiro recém-chegado. A gente pensa que vai ficar naquelas da estética da pobreza, mas o filme dá a volta por cima e se torna muito interessante em sua metade final. Vale como aventura quando o casal foge para ficar junto e é perseguido por quatro machões da aldeia, marido inclusive, que querem capturá-lo por uma questão de honra. Nesse ponto o filme fica ágil, interessante e terminade maneira muito bonita. Gostei. Não é uma obra-prima, longe disso, mas a diretora tem mão. Foi exibido às 11h da manhã no Teatro Amazonas. Lá fora, uns 40º, mais a umidade. Lá dentro, um frigorífico. Tipo banho de contraste.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.