As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Gramado 2018: ‘Corpo Feminino’ vence o ‘Gauchão’

Prêmios para os melhores curtas gaúchos foram distribuídos domingo a noite. Venceu um sensível documentário sobre a imagem que as mulheres têm de seus corpos. O nível geral da competição foi bom

Luiz Zanin Oricchio

20 de agosto de 2018 | 10h07

GRAMADO/RS

Foram premiados ontem os vencedores do ‘Gauchão’, seção do festival dedicada à produção local. Venceu, com justiça, o belo documentário Um Corpo Feminino, de Thaís Fernandes. O doc ouve mulheres de várias idades sobre sua relação com o corpo próprio. A fala de uma idosa é das mais interessantes, pela graça e franqueza. Mas o conjunto de depoimentos, bem articulado, é que dá força ao filme. Venceu também o prêmio de melhor roteiro.

Outra produção bem premiada foi Sem Abrigo, curta de Leonardo Remor que mostra o angustiante cotidiano de uma sem teto em Porto Alegre, tentando sobreviver. A intérprete, Rejane Arruda, ganhou o troféu de melhor atriz.

Já o prêmio de ator foi dividido entre Sirmar Antunes e Clemente Viscaíno, que contracenam em Grito, filme de plano único sobre uma comovente despedida.  

Um esclarecimento para quem não conhece o festival. Em Gramado, os curtas da Mostra Gaúcha são apresentados em duas sessões vespertinas e premiados em seguida. Assim, o Gauchão nos ocupou as tardes de sábado e domingo e a premiação foi ontem à noite. Foram vinte curtas-metragens concorrentes.

Gostei do nível geral dos filmes e concordo em boa parte com a premiação. Senti falta de uma menção a Antes do Lembrar, filme dos mais interessantes, que junta pontas entre a pré-história e os dias atuais.

 

Vencedores do Prêmio Assembleia Legislativa – Mostra Gaúcha de Curtas

Melhor Produção / Produção Executiva – Rafael Duarte e Taísa Ennes, por “Mulher Ltda”

Melhor Edição De Som – Guilherme Cassio, por “Abismo”

Melhor Música – Jonts Ferreira, por “Nós Montanha”

Melhor Direção De Arte – Taísa Ennes, por “Mulher Ltda”

Melhor Montagem – Germano De Oliveira, por “Sem Abrigo”

Melhor Fotografia – Marco Antônio Nunes, por “Sem Abrigo”

Melhor Roteiro – Thaís Fernandes, por “Um Corpo Feminino”

Melhor Atriz – Rejane Arruda, de “Sem Abrigo”

Melhor Ator – Sirmar Antunes e Clemente Viscaíno, por “Grito”

Melhor Curta Gaúcho Júri Da Crítica – “Sem Abrigo”, de Leonardo Remor

Menção Honrosa – “A Formidável Fabriqueta de Sonhos Menina Betina”

Melhor Direção – Henrique Lahude, por “Fè Mye Talé”

Melhor Filme – “Um Corpo Feminino”, De Thaís Fernandes

 

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: