As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Fernando Fernán Gómez, adeus…

Luiz Zanin Oricchio

24 de novembro de 2007 | 01h12

BRASÍLIA

No turbilhão do festival acabei sabendo da morte do grande ator espanhol Fernando Fernán Gómez, de Espírito da Colméia, Tudo sobre Minha Mãe, O Tempo das Mariposas, etc. — uma carreira de mais de 200 filmes. O meu favorito, talvez, seja Belle Époque, de Fernando Trueba, um belo trabalho anarquista que servia muito, suponho, à sua personalidade.

Tive o prazer de conhecê-lo anos atrás quando veio a São Paulo. Batemos um longo papo sobre cinema e outros assuntos. Fernando revelou-se um exemplar (em extinção) daquela estirpe dos velhos intelectuais espanhóis: bom humor, conversa refinada, inteligência, boas frases, pontuadas de ironia e ternura. Tinha 86 anos, era considerado um fora de série em sua área de atuação. E foi um belo ser humano.

Há um documentário de David Trueba (irmão de Fernando Trueba), Conversas com Fernando Fernán Gómez, que traz uma boa amostra dessa atitude ao mesmo tempo crítica e positiva sobre a vida que era a marca registrada de Fernando.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.