As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Entre hoje e amanhã Tropa de Elite 2 será o recordista brasileiro de bilheteria

Luiz Zanin Oricchio

08 de dezembro de 2010 | 10h58

Entre hoje e amanhã, o que era tido como impossível vai acontecer e um filme brasileiro – Tropa de Elite 2 – irá superar o insuperável recorde de bilheteria de Dona Flor e seus Dois Maridos, com 10,7 milhões de espectadores registrados em 1976.

Em mensagem enviada ao blog, o distribuidor de Tropa de Elite, Marco Aurélio Marcondes, escreveu: “DONA FLOR acumulou 10.735.524, e Tropa de Elite 2 até ontem (segunda-feira) tinha 10.684.549 de ingressos vendidos. Assim, faltam 50.976 espectadores; estimo que até a próxima 5ª. feira, teremos 10.755.000. O filme está se mantendo, no nono fim de semana, com 331 cópias em cartaz.”

Aí está. Passamos anos sustentando que nenhum filme passaria Dona Flor por uma série de motivos:

1)O preço do ingresso, na época de Dona Flor, era muito mais barato, equivalente a um bilhete de condução. Por isso, o cinema era diversão popular.
2)O circuito era muito maior. Havia muito mais salas e cinemas de rua, frequentados pelo espectador mais pobre, o grosso da população brasileira. De lá para cá, o cinema só fez se elitizar. Migrou para shopping, passou a ser entretenimento exclusivo de classe média para cima.
3)Não havia tantas alternativas de diversão popular nos anos 1970. Hoje, o cinema disputa espaço com mil concorrentes e os filmes podem ser vistos na TV a cabo, na internet, no celular, no Ipad, etc. Na época de Dona Flor, nem VHS existia.

Aí está. Passamos anos repetindo dogmas que mantinham Dona Flor em patamar imbatível. Agora, Tropa de Elite 2 nos fará revisar conceitos. E, mais ainda, porque se trata de um lançamento independente, sem apoio de nenhuma major. Dona Flor foi lançado pela então poderosa Embrafilme, que, no Brasil, tinha o peso e a abrangência de mercado de uma major norte-americana.

Sobre o fato de Dona Flor ter sido até hoje o recordista, existe algum debate, inócuo me parece. Dizem que alguns filmes como O Ébrio, por exemplo, teriam feito mais bilheteria. Ou que algumas chanchadas da Atlântida poderiam ter superado esses números. Não se sabe ao certo. É tudo especulação. Já os números de Dona Flor são oficiais. Estão na tabela da Embrafilme divulgada em 1986 (ver História do Cinema Brasileiro, de Fernão Ramos, p. 418)

Uma consideração: apesar de ter sido passado para trás em números absolutos, Dona Flor, de Bruno Barreto, continua recordista na relação nº de espectadores/população. Em 1976 havia 110 milhões de brasileiros. Hoje somos 190 milhões. Para bater esse número relativo, Tropa de Elite 2 teria de alcançar cerca de 19 milhões de espectadores.

Uma hipótese para explicar o fenômeno Tropa de Elite 2: será que além do óbvio interesse pelo tema da violência urbana, e dos méritos do filme, a recente ascensão ao consumo de entretenimento das classes C e D não teria algo a ver com tudo isso?

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: