As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Em Manaus

Luiz Zanin Oricchio

08 de novembro de 2008 | 11h44

MANAUS – Andei meio fora do ar porque vim para Manaus e a internet(ou pelo menos a do meu computador) não estava funcionando. Enfim, escrevo da sala de imprensa, para dizer que vi o primeiro filme da mostra competitiva do 5º Amazonas Film Festival, Verônica, do brasileiro Maurício Farias. É um thriller urbano, interessante, de bom ritmo, sobre a professora Verônica (Andréa Beltrão), que resolve proteger um garotinho (Matheus de Sá), ameaçado pela máfia policial. Os pais do menino, informantes e ao mesmo tempo partes do tráfico de drogas, haviam sido mortos numa típica queima de arquivos. Mas deixaram um registro das atividades de corrupção num pendrive que o moleque carrega como um talismã. Bons momentos, num filme claramente inspirado em Glória, de John Cassavetes. Pena que a cópia, apresentada em digital de baixa qualidade, deixasse muito a desejar. Ainda assim, provavelmente pelo estilo tenso e final um tanto, agradou ao público, que aplaudiu muito. Andréa está bem, como sempre. Se o filme escapasse a alguns clichês de gênero, que o fazem às vezes previsível, poderia ser melhor.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.