É Tudo Verdade 2021 divulga programação
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

É Tudo Verdade 2021 divulga programação

Luiz Zanin Oricchio

23 de março de 2021 | 13h09

Não tem jeito. Com o Brasil jogado no caos da pandemia, o É Tudo Verdade deste ano será mais uma vez online, como o de 2020. Em coletiva via Zoom, o criador e diretor do festival de documentários, o crítico Amir Labaki, lamentou que ainda não tenhamos condições de voltar a frequentar as salas de cinema, mas garantiu que a programação online será mais uma vez de alto nível. Pelo que se pode deduzir pelos títulos apresentados, deve ser assim mesmo. 

A competição brasileira terá sete filmes em longa-metragem. No todo são 69 títulos de 23 países, apresentados de 8 a 18 de abril. A programação de filmes, master classes e debates, será distribuída pelas plataformas Looke, Itaú Cultural, Sesc em Casa, Spcine Play, no Canal do YouTube do É Tudo Verdade e no Canal Brasil.

Abaixo, os concorrentes das duas principais mostras competitivas em longas-metragens. 

Competição nacional de longas e médias-metragens

Alvorada

Direção: Anna Muylaert, Lô Politi.

Sinopse: Na intimidade do Palácio da Alvorada, o cotidiano da presidente Dilma Rousseff, primeira e única mulher a governar o Brasil, durante o desenrolar dramático do impeachment que a tirou do poder. Estreia brasileira.

 

Os Arrependidos

Direção: Armando Antenore, Ricardo Calil

Sinopse: Os Arrependidos reconta a história pouco lembrada de ex-militantes que, muito jovens, largaram tudo para arriscar a vida por uma causa, foram presos e torturados, e viraram arma de propaganda de seus inimigos. Estreia mundial.

 

Dois Tempos

Direção: Pablo Francischelli

Sinopse: Trinta e cinco anos depois do primeiro encontro, que mudaria a vida de ambos, o violonista argentino Lucio Yanel e seu pupilo brasileiro Yamandu Costa se reencontram para refazer, em uma viagem, os caminhos que levaram Yanel originalmente ao interior do Rio Grande do Sul. Estreia mundial.

 

Edna

Direção: Eryk Rocha.

Sinopse: À beira da rodovia Transbrasiliana, Edna vive em uma terra em ruínas, construída sobre massacres. Criada apenas pela mãe, ela experimenta, no corpo e nos corpos de seus descendentes, as marcas de uma guerra que nunca acabou: a guerra pela terra. Estreia brasileira.

 

Máquina do Desejo – Os 60 Anos do Teatro Oficina

Direção: Lucas Weglinski, Joaquim Castro

Sinopse: Em seis décadas, o Teatro Oficina fez mais que revolucionar a linguagem teatral no país: a influência estética da companhia de José Celso Martinez Corrêa estende-se do Tropicalismo à renovação das linguagens audiovisuais brasileiras a partir dos anos 1960. Estreia mundial.

 

Paulo César Pinheiro – Letra e Alma

Direção: Cleisson Vidal, Andrea Prates

Sinopse: Aqui, sentado em seu sofá, o compositor reflete sobre a natureza humana e conduz uma viagem que evoca e envolve grandes nomes da MPB. Estreia mundial.

 

Zimba

Direção: Joel Pizzini

Sinopse: A trajetória e o imaginário artístico do ator e diretor Zbigniew Ziembinski (1908-1978), precursor do teatro moderno na América Latina e mestre de gerações de atores brasileiros. Estreia mundial.

 

 

FILMES EM COMPETIÇÃO

LONGAS E MÉDIAS-METRAGENS INTERNACIONAIS

 

Doze longas-metragens internacionais em competição serão exibidos online ao público da 26ª edição do É Tudo Verdade, em sessões diárias.

 

9 Dias em Raqqa (9 Jours A Raqqa/ 9 Days in Raqqa)

Direção: Xavier de Lauzanne

Sinopse: Uma escritora francesa cruza o Iraque e a Síria para conhecer Leila Mustapha, prefeita de Raqqa. Nessa cidade perigosa, ela tem nove dias para conviver com Leila e poder contar sua história em um livro.

 

Eu e o Líder da Seita (Aganai/ Me and the Cult Leader – A Modern Report   on the Banality of Evil)

Direção: Atsushi Sakahara

Sinopse: Em 1995, a seita apocalíptica Aum Shinrikyo, de Tóquio, cometeu o maior ato terrorista da história do Japão, matando treze pessoas e ferindo 6 mil em um ataque com gás sarin em três trens de metrô lotados da cidade. Vinte anos depois, uma das vítimas resolve confrontar a seita.

 

Glória à Rainha (Glory to the Queen)

Direção: Tatia Skhirtladze

Sinopse: Durante a Guerra Fria, quatro enxadristas lendárias da Geórgia revolucionam o xadrez feminino no mundo inteiro.

 

Gorbachev.Céu (Gorbachev.Heaven)

Direção: Vitaly Mansky

Sinopse: Condenado por seu próprio povo, Gorbachev, hoje um homem velho e solitário, passa os dias finais de sua vida em uma casa vazia no subúrbio de Moscou.

 

História de um Olhar (Histoire d’un Regard/ Looking for Gilles Caron)

Direção: Mariana Otero

Sinopse: Construído como uma investigação, o filme busca, por meio de suas imagens icônicas e das brechas entre elas, resgatar a presença do fotógrafo Gilles Caron, que desapareceu aos 30 anos. Indicado ao César® 2021 de Melhor Documentário.

 

Leonie, Atriz e Espiã (Leonie, Actrice en Spionne/ Leonie, Actress and Spy)

Direção: Annette Apon

Sinopse: O sonho de Leonie Brandt (1901-1978) era ser atriz. Depois de realizá-lo, ela assumiu o papel de sua vida: tornou-se espiã do serviço holandês de inteligência na Alemanha nazista.

 

Mil Cortes (A Thousand Cuts)

Direção: Ramona S. Diaz

Sinopse: A jornalista Maria Ressa, que foi uma importante repórter investigativa da CNN no sudeste asiático, coloca as ferramentas da imprensa livre – e sua própria liberdade – em risco para defender a verdade e a democracia.

 

MLK/FBI (MLK/FBI)

Direção: Sam Pollard

Sinopse: Primeiro filme a revelar a extensão da vigilância e da intimidação do FBI ao reverendo Martin Luther King, baseia-se em arquivos descobertos e/ou tornados públicos recentemente. Um dos quinze semifinalistas ao Oscar® 2021 de Melhor Documentário.

 

Paraíso (Paradise)

Direção: Sérgio Tréfaut

Sinopse: O filme foi interrompido subitamente pela pandemia do coronavírus e transformou-se em um tributo a uma geração dizimada. Estreia mundial.

 

Presidente (President)

Direção: Camilla Nielsson

Sinopse: Quando Robert Mugabe foi apeado do poder por seu próprio partido, depois de 38 anos de ditadura, os líderes militares do Zimbábue prometeram garantir a democracia com uma eleição presidencial. Seria realmente possível uma eleição livre, justa e transparente?

 

Sob Total Controle (Totally Under Control)

Direção: Alex Gibney, Ophelia Harutyunyan, Suzanne Hillinger

Sinopse: Um exame aprofundado da forma como o governo Trump respondeu ao surto da Covid-19 nos primeiros meses da pandemia – também os últimos antes da eleição presidencial no país, em outubro de 2020.

 

Vicenta (Vicenta)

Direção: Dario Doria

Sinopse: Vicenta, apesar de ter tudo a perder, dá início a uma guerra contra o Estado argentino para conseguir aquilo que considerava justo: a interrupção legal da gravidez de sua filha.

 

Além da programação oficial, haverá vários extras. 

 

No ano do seu centenário, o grande documentarista francês Chris Marker será homenageado, como todo artista deve ser: com a exibição de seus filmes, de obras sobre ele e debates sobre seu legado. 

Em sessão hors concours será exibido o documentário Paul Singer, uma Utopia Militante, de Ugo Giorgetti, sobre a trajetória do grande intelectual. Num momento de trevas como este, evocar o trabalho humanista e civilizatório de Singer pode ter efeito iluminador. 

Homenageado por seus 90 anos, o grande diretor Ruy Guerra ganhará uma retrospectiva com alguns dos seus filmes. Também ministra uma master class na plataforma do Sesc 24 de maio. 

Os links das exibições estarão disponíveis no website www.etudoverdade.com.br.

No dia seguinte de cada estreia em streaming, os diretores dos longas-metragens participam de um debate virtual, na plataforma online do festival.

 

Tudo o que sabemos sobre:

É Tudo Verdade (Festival de Cinema)