As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

E o São Paulo também…

Luiz Zanin Oricchio

06 de março de 2008 | 00h40

Não menos suada que a vitória do Santos foi a virada do São Paulo sobre o Audax Italiano. Não adianta a gente dizer que o Tricolor joga mal e vai ganhando porque os são-paulinos acham ruim. Mas é isso mesmo o que acontece, ora. Cadê aquele time sólido do ano passado? Não está aí, mas vai conseguindo resultados, de uma maneira ou de outra.É time de chegada, copeiro, cascudo, como dizia Leão em seu tempo por lá.

Depois do gol do Audax, pensei que o São Paulo não teria forças para reagir. Mas Muricy fez uma alteração ousada e que deu certo. Colocou mais um atacante, Aloysio, o que deu outra consistência, outro peso, ao time. E os gols surgiram, através de Adriano, que teve semana conturbada…para variar. Um de cabeça, outro de puro oportunismo. No rebote do goleiro, já havia passado da bola, mas conseguiu trazê-la com o pé para trás e emendou para o gol. Bonito, o chamado cacoete de atacante. Que os gols lhe sirvam de proteção contra maus fluidos.

Resumindo: os cinco brasileiros estão em primeiro lugar em seus grupos na Libertadores da América. Bom começo. Mas é só o começo…

Agora: é triste ver o futebol pela Globo e ser obrigado a engolir os links que eles fazem com aquela debiloidice do Big Brother. Eu, hein? Deveriam pagar uma taxa simbólica de insalubridade aos espectadores. Ou quem sabe dar um descontinho na conta salgada da NET?

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.