As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Dois presentes

Luiz Zanin Oricchio

11 de julho de 2007 | 15h16

Outro dia me dei dois presentes simultâneos, um dependente do outro: não fui à cabine de imprensa de Harry Potter e, no mesmo horário, fui à de Medos Privados em Lugares Públicos. Este é o nome do novo filme de Alain Resnais (de Hiroshima, Meu Amor e O Ano Passado em Marienbad), baseado na peça de Alan Ayckbourn (de quem Resnais já tinha “adaptado” Smoking No Smoking).

Um dia desses vou ver Harry Potter e daí dou minha opinião. A questão sobre esses filmes de grande orçamento é sempre a mesma: há possibilidade de vida inteligente dentro da indústria? Em tese sim, mas, convenhamos, com os estúdios entregues aos CEOs das finanças, isso anda cada vez mais difícil.

Já Resnais é outro departamento. Aqui é o mundo humano, da sutileza, das ambigüidades, da fragilidade diante do próximo e de si mesmo. O ambiente é teatral, interiores de uma Paris onde sempre neva. Os personagens vivem no confronto de suas repressões e no desejo de serem amados. Na Europa, o filme recebeu um título simples: Coeurs, Corações, não adotado por aqui. Já o tinha visto no Festival de Veneza, onde Resnais ganhou o troféu de direção. Fui revê-lo. Me pareceu ainda melhor. Há vida inteligente (e sensível) no mundo do cinema. O filme entra em cartaz nesta sexta-feira em São Paulo.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.