As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Do saiote ao tamborim

Luiz Zanin Oricchio

11 de setembro de 2007 | 17h56

PARIS – Falando nisso, o que mais se encontra nas ruas de Paris são grupos de escoceses, sempre de saiote e copo na mão. Gaita de foles ainda não vi. O esporte, em disputas mundiais, é uma espécie de nacionalismo carnavalizado. Não precisamos antipatizar com isso. Identificar-se e ter orgulho de sua pátria não faz mal a ninguém, não é coisa de direita ou de esquerda. É outro papo. Podemos (devemos, eu acho) ser internacionalistas, afinal a humanidade é uma só e todo contato e troca nos enriquece. Para isso não é preciso cuspir na nossa casa. Se não a defendemos, ninguém o fará por nós. Os escoceses estão de saiote. Fossem brasileiros, estariam de camisa amarela (já que a listrada caiu de moda) e tamborim na mão. Qual o problema?

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.