As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Diário de Veneza 2011: tributo a Marco Bellocchio

Luiz Zanin Oricchio

10 de setembro de 2011 | 07h07

Na homenagem a Marco Bellocchio, que recebeu o Leão de Ouro pela carreira, foi exibido seu filme Em Nome do Pai, de 1971. Uma nova versão, expurgada de algumas diálogos extremamente marxistas, “típicos da época”, diz o diretor. Não que isso aplaine a história de um grupo de alunos que contesta duramente a escola religiosa onde estuda. “O filme é muito político”, disse Bellocchio, “e reflete claramente a ressaca pós-68 que a nossa geração vivia na época.”

Quando lhe perguntam se o Leão pela carreira pode ser considerado desagravo por não ter sido premiado em outras ocasiões, Bellocchio diz que não; isso implicaria um ressentimento que não tem. Mas não esconde: “Não gosto do poder e das instituições. E o poder e as instituições, sabendo disso, me tratam da mesma maneira”. Autor de obras-primas como Pugni in Tasca e Vincere, Bellocchio paga o preço pela independência.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: