As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Diário de Brasília 2011: Rock e vaias

Luiz Zanin Oricchio

27 de setembro de 2011 | 12h01

BRASÍLIA. Aplausos para mestre Vladimir Carvalho por seu Rock Brasília – a Era de Ouro, ontem no Teatro Nacional. Vaias para a ministra Ana de Hollanda que, pelo jeito, continua com a popularidade em dia. E longos discursos políticos, em especial na boca do apresentador José de Abreu. Teve de tudo um pouco na abertura ontem do 44º Festival de Brasília ontem à noite num superlotado Teatro Nacional.

 

O festival começa com um filme premiado em Paulínia, tem seus primeiros competidores com ar de coisa já vista (As Hipermulheres, Trabalhar Cansa,) e só na quinta-feira apresenta o primeiro inédito, Hoje, de Tata Amaral.

Além disso, entidades locais como a ABCV (Associação Brasiliense de Cinema e Vídeo) estão em briga com o festival e o cineasta Adirley Queirós retirou seu longa A Cidade É uma Só? da Mostra Primeiros Filmes.

A coisa está quente no Planalto.

Tudo o que sabemos sobre:

Festival de Brasília 2011

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: