‘Cine Marrocos’ vence o Festival É Tudo Verdade de 2019
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

‘Cine Marrocos’ vence o Festival É Tudo Verdade de 2019

Filme tem por tema a ocupação de um antigo cinema da Capital por um grupo de pessoas sem-teto

Luiz Zanin Oricchio

14 de abril de 2019 | 22h04

 

LEIA TAMBÉM >Claude Lanzmann

 

 

 

Cine Marrocos, de Ricardo Calil, é o grande vencedor do Festival É Tudo Verdade de 2019. O filme enfoca de maneira humanista e criativa a ocupação do antigo cinema de luxo da Capital por um grupo de sem-tetos.

Estou me Guardando pra Quando o Carnaval Chegar, de Marcelo Gomes, usa como título a célebre canção de Chico Buarque para descrever o cotidiano de uma cidade pernambucana consagrada o ano todo à fabricação de jeans e esperando pelo desafogo do Carnaval, em fevereiro, quando todos vão curtir a festa na praia. O filme recebeu menção honrosa do júri oficial e também o troféu da crítica, dado pela Abraccine (Associação Brasileira dos Críticos de Cinema). 

Outro brasileiro, Joel Zito Araújo, ganhou o Prêmio Especial do Júri, na categoria internacional, com Meu Amigo Fela, sobre o grande músico e ativista nigeriano Fela Kuti.

Abaixo, a premiação completa:

PREMIAÇÃO OFICIAL DO FESTIVAL É TUDO VERDADE 2019

COMPETIÇÃO BRASILEIRA
Melhor Documentário de Longa ou Média-Metragem: (prêmio de R$ 20.000 e Troféu É Tudo Verdade)
Cine Marrocos, de Ricardo Calil

Menção Honrosa de Longa ou Média-Metragem
Estou Me Guardando pra Quando o Carnaval Chegar , de Marcelo Gomes

Melhor Documentário de Curta-Metragem: (prêmio de R$ 6.000 e Troféu É Tudo Verdade)
Sem Título #5:a Rotina Terá Seu Enquanto, de Carlos Adriano

COMPETIÇÃO INTERNACIONAL
Melhor Documentário de Longa ou Média-Metragem: (prêmio de R$ 12.000 e Troféu É Tudo Verdade)
O Caso Hammarskjöld, de Mads Brügger

Prêmio Especial do Júri de Longa ou Média-Metragem Meu Amigo Fela, de Joel Zito Araújo

Menção Honrosa de Longa ou Média-Metragem
Hungria 2018: Bastidores da Democracia, de Eszter Hajdú

Melhor Documentário de Curta-Metragem: (prêmio de R$ 6.000 e Troféu É Tudo Verdade)
Nove Cinco, de Tomás Arcos

Menção Honrosa de Curta-Metragem
Lily, de Adrienne Gruben

COMPETIÇÃO LATINO-AMERICANA
Melhor Documentário de Longa-Metragem:
Piazzolla: os Anos do Tubarão, de Daniel Rosenfeld (prêmio de R$ 8.000 e Troféu É Tudo Verdade)

Menção Honrosa
Maricarmen, de Sérgio Morkin

PREMIAÇÕES PARALELAS
Prêmio Aquisição Canal Brasil de Incentivo ao Curta-Metragem: (prêmio de R$ 15.000 e Troféu Canal Brasil)
A Primeira Foto, de Tiago Pedro

Prêmios ABRACCINE (Associação Brasileira de Críticos de
Cinema):
Longa-metragem – Estou Me Guardando pra Quando o Carnaval Chegar, de Marcelo Gomes

Curta-metragem – Planeta Fábrica, de Julia Zakia

Prêmio ABD-SP (Associação Brasileira de Documentaristas e
Curta-Metragistas):
Longa-Metragem: Soldados de Borracha, de Wolney Oliveira
Menção honrosa: Estou Me Guardando para Quando o Carnaval Chegar, de Marcelo Gomes

Curta-metragem: Vento de Sal, Anna Azevedo

Menção honrosa: Planeta Fábrica, de Julia Zakia

Prêmio Mistika para o Melhor Documentário da Competição
Brasileira de Curtas-metragens:
(prêmio de R$ 8.000,00 em serviços de pós-produção digital)
Sem Título #5: A Rotina Terá Seu Enquanto, de Carlos Adriano

Tendências: