Cine Ceará 2020: ‘A morte habita à noite’, um Bukowski à brasileira
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Cine Ceará 2020: ‘A morte habita à noite’, um Bukowski à brasileira

Luiz Zanin Oricchio

06 de dezembro de 2020 | 11h24

Começou ontem o 30º Cine Ceará com a exibição de A Morte Habita à Noite, de Eduardo Morotó, de Pernambuco. Na apresentação, enviada por vídeo, o diretor se diz inspirado pela narrativa do escritor norte-americano nascido na Alemanha Charles Bukowski (1920-1994), expoente da beat generation. 

O “nosso” Bukowski é Raul (Roney Villela), visto embebedando-se sistematicamente pelas ruas do centro do Recife, e em suas relações com três mulheres, vividas por Mariana Nunes, Endi Vasconcellos e Rita Carelli. A primeira é a amante do momento, que o abandona sem aviso. A segunda, a ninfeta com a qual se engancha, sem muita convicção. A terceira, vinda das trevas, talvez a mulher ideal e definitiva com a qual sonham os seres trágicos. 

Por certo, Raul é um deles. Como seu modelo importado, é alcoólatra, escreve e tenta sobreviver de qualquer forma, e com pequenos bicos, mas sem ligar muito para o futuro. Pressente que talvez não tenha mesmo qualquer futuro com que se preocupar. 

Confesso que, no começo, temi um pouco. Há uma piada meio sem graça entre críticos: filme de bêbado em geral é um porre. E é mesmo, mas por um motivo simples, que é a dificuldade de filmar o paroxismo sem cair no ridículo ou na militância do mau gosto – um recurso estético e talvez datado do Cinema Marginal. 

Mas a verdade é que a narrativa se apruma, o personagem se adensa, assim como as pessoas que com ele contracenam, em especial as mulheres. Há uma participação especial de Everaldo Pontes, também muito boa. As cenas de rua, muito bem fotografadas, colocam a cidade como personagem importante da narrativa. Tem clima. O resultado acaba sendo muito bom e a atuação cool de Roney Villela acentua a tragicidade noturna do personagem. 

O Cine Ceará prossegue hoje à noite com dois longas, um nacional, A última Cidade, e outro argentino, Las Buenas Intenciones. A programação, bem como a maneira de ver, pelo streaming Canais Globo, você tem aqui, pelo release mandado pela assessoria de imprensa. De minha parte, vou acompanhar os filmes no dia a dia e comentá-los neste espaço. 

PROGRAMAÇÃO 06/12 (DOMINGO)

Sala de Debate e Canal do Cine Ceará no Youtube 

9H30 – DEBATE – MOSTRA COMPETITIVA BRASILEIRA DE CURTA-METRAGEM

5 estrelas. Fernando Sanches. Ficção. 15’. São Paulo. 2020.

A Nave de Mané Socó. Severino Dadá. Ficção. 18’. Pernambuco. 2019.

Parabéns a Você. Andreia Kaláboa. Ficção.  19’. Paraná. 2019.

 

11H – DEBATE – MOSTRA COMPETITIVA IBERO-AMERICANA DE LONGA-METRAGEM 

A Morte Habita à Noite. Eduardo Morotó. Ficção. 94′. Brasil. 2020.

 

14H – DEBATE – MOSTRA OLHAR DO CEARÁ (CURTAS EXIBIDOS NA SESSÃO 1)

Pequenas Considerações sobre o Espaço-Tempo. Michelline Helena. Documentário. 3’. Ceará. 2020.

A Fome que Devora o Coração. Raiane Ferreira. Ficção. 16’. Ceará. 2019.

Sombra do Tempo. Naiana Magalhães. Documentário. 20’. Ceará. 2020.

 

15H30 – DEBATE – MOSTRA OLHAR DO CEARÁ (CURTAS EXIBIDOS NA SESSÃO 2)

Luna e Sol. Dado Fernandes. Ficção. 16’. Ceará. 2020.

A Gaiola. Jaildo Oliveira. Documentário. 3’. Ceará. 2020.

Aqui Entre Nós. Alexia Holanda e Daniel Sobral. Ficção. 15’. Ceará. 2020.

Futebol para Todos. Rafael Luís Azevedo. Documentário. 5’. Ceará. 2019.

 

Cineteatro São Luiz e Canais Globo https://canaisglobo.globo.com/c/canal-brasil/

19h – MOSTRA COMPETITIVA IBERO-AMERICANA DE LONGA-METRAGEM

Las Buenas Intenciones (As Boas Intenções). Ana García Blaya. Ficção. 86′ Argentina. 2020. Classificação indicativa: Livre

Última Cidade. Victor Furtado. Ficção. 70’. Brasil. 2020.  Classificação indicativa: Livre

 

Canal do Cine Ceará no Youtube

9h às 22h – MOSTRA OLHAR DO CEARÁ – CURTA-METRAGEM

SESSÃO 3

Classificação indicativa: 18 anos

Scelus. Edmilson Filho. Ficção, 10’. Ceará. 2020.

Doce Veneno. Waleska Santiago. Documentário. 16’. Ceará. 2020.

Cacau. Ton Martins. Ficção. 16’. Ceará. 2020.

SESSÃO 4

Classificação indicativa: 16 anos

Quando vier a primavera, se eu já estiver morto… Robson Lima. Ficção. 15’. Ceará. 2019.

Santa Mãe. Thiago Barbosa. Drama/Suspense. 24’. Ceará. 2019.

 

TVC

10H – OLHAR DO CEARÁ – CURTA-METRAGEM

A Retirante. Débora Ingrid e Henrique Oliveira. Experimental. 13’. Ceará. 2020.

Todos nós moramos na rua. Marcus Antonius Melo.  Documentário. 15’. Ceará. 2019.

Doce Veneno. Waleska Santiago. Documentário. 16’. Ceará. 2020. 

Sombra do Tempo. Naiana Magalhães. Documentário. 20’. Ceará. 2020.

Aqui é Flamengo. Rafael Luís Azevedo. Documentário. 25’. Ceará. 2019.

O Prisma. Augusto Cesar dos Santos. Documentário, 25’. Ceará. 2019.

 

ESPECIAL CINE CEARÁ COM EXIBIÇÃO DAS MOSTRAS SOCIAIS

19h MOSTRA MELHOR IDADE

Violeta Al Fin (Violeta ao Fim). Hilda Hidalgo. Drama. 87’. Costa Rica-México. 2017.

Classificação indicativa: 12 Anos

20h35 – O PRIMEIRO FILME A GENTE NUNCA ESQUECE

Os Under Undergrounds, O Começo. Nelson Botter Jr. Animação. 100’. Brasil. 2018.

Classificação indicativa: Livre

22h05 – MOSTRA ACESSIBILIDADE (Legendagem descritiva)

Um dia para Susana. Giovanna Giovanini e Rodrigo Boecker. Documentário. 85’. Brasil. 2018.

Classificação indicativa: Livre

 

 

DISPONÍVEL DE 05 A 11/12:

 

Canais Globo https://canaisglobo.globo.com/c/canal-brasil/

MOSTRA COMPETITIVA BRASILEIRA DE CURTA-METRAGEM

5 estrelas. Fernando Sanches. Ficção. 15’. São Paulo. 2020.

Classificação indicativa: Livre

A beleza de Rose. Natal Portela. Ficção. 20’. Ceará. 2020.

Classificação indicativa: Livre

A Nave de Mané Socó. Severino Dadá. Ficção. 18’. Pernambuco. 2019.

Classificação indicativa: Livre

A volta para casa. Diego Freitas. Ficção. 16’. São Paulo. 2019. 

Classificação indicativa: Livre

Desaparecido. Gabriel Calamari. Ficção. 21’. São Paulo. 2020. 

Classificação indicativa: 12 anos

Inabitável. Matheus Farias e Enock Carvalho. Ficção. 20’. Pernambuco. 2020. 

Classificação indicativa: Livre

Magnética. Marco Arruda. Experimental. 16’. Rio Grande do Sul. 2020. 

Classificação indicativa: 12 anos

Não te amo mais. Yasmin Gomes. Documentário. 10’. Ceará. 2020.

Classificação indicativa: Livre

Nós. Hugo Moura e Ricardo Burgos. Ficção. 9’. Rio de Janeiro. 2019. 

Classificação indicativa: 14 anos

O Babado da Toinha. Sérgio Bloch. Documentário. 13’. Rio de Janeiro.2020. 

Classificação indicativa: 10 anos

O Barco e O Rio. Bernardo Ale Abinader. Ficção. 17’. Amazonas.2020. 

Classificação indicativa: Livre

O sal da vida. Danilo Carvalho. Documentário. 4’. Piauí. 2020.

Classificação indicativa: Livre

Parabéns a Você. Andreia Kaláboa. Ficção.  19’. Paraná. 2019.

Classificação indicativa: 10 anos

Quitéria. Tiago A Neves. Ficção. 14’. Paraíba. 2019.

Classificação indicativa: Livre

Vista para dias nublados. Ana Luísa Moura. Ficção. 11’. Rio Grande do Sul. 2019.

Classificação indicativa: Livre

 

Tudo o que sabemos sobre:

Cine Ceará (Festival de cinema)