As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Caveira!

Luiz Zanin Oricchio

24 de março de 2008 | 19h19

Li interessante matéria na Folha de domingo sobre o uso das técnicas do Bope para fins de motivação empresarial. Se você não se lembra, o Bope é o batalhão de elite da PM carioca, descrito no filme Tropa de Elite que ganhou o Urso de Ouro em Berlim.

Agora, as palavras de ordem celebrizadas pelo capitão Nascimento (Wagner Moura) viraram apelo nesses cursos de “motivação” ministrados para várias e conhecidas empresas brasileiras. “Missão dada, missão cumprida”. “Pede prá sair, 02”. E, claro, o grito de guerra “caveira!”. Tudo isso para despertar um espírito de hipercompetição entre os vendedores, num clima empresarial que poderia sem nenhum exagero ser descrito como o de um campo de treinamento das tropas SS, ou do próprio Bope.

Cooperação entre as pessoas? Nem pensar. Espírito de equipe? Isso é papo ultrapassado. Romântico. O negócio, agora, é puxar o tapete do seu vizinho, antes que ele o faça com você. Tentar derrotá-lo em seu próprio campo e transformar a vida numa infernal corrida de ratos, sem começo, meio ou fim.

Coitado do José Padilha quando diz que seu filme, ao mostrar o instrumental de truculência do Bope, tinha intenção crítica. Acabou servindo de modelo para esses cursos de motivação, que entendem a produtividade empresarial como resultado da guerra sem tréguas entre os funcionários.

Pobre ser humano. Está ficando louquinho, louquinho…

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.