Brasília consagra ‘Martírio’, sobre a trágica questão indígena brasileira
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Brasília consagra ‘Martírio’, sobre a trágica questão indígena brasileira

Luiz Zanin Oricchio

23 de setembro de 2016 | 15h22

IMG_0151

 

Dentre os filmes que compõem o grande ato político contra o governo em que se transformou esta edição do Festival de Brasília, Martírio ocupa lugar especial. Em 2h40 de projeção, o diretor Vincent Carelli mostra a saga trágica dos Guarani-Kaiowá, mesclando cenas com os índios, tomadas ao longo dos anos, e outras de arquivo. Recria assim uma cronologia de genocídio que vem da Guerra do Paraguai, passa pelas políticas humanitárias-integracionistas de Rondon, o Estado Novo, os governos militares e os 13 anos do PT no poder.

O filme foi aplaudido várias vezes em cena aberta e recebeu uma ovação ao final. Há muitos anos não via  um concorrente ser consagrado desta forma num Cine Brasília tomado pela paixão política.

publicidade

publicidade