Aruanda 2019: ‘Desvio’ vence e reafirma força do cinema paraibano
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Aruanda 2019: ‘Desvio’ vence e reafirma força do cinema paraibano

Luiz Zanin Oricchio

05 de dezembro de 2019 | 09h45

Vencedores dos troféus Aruanda, em cerimônia marcada pela política/Foto de Maria do Rosário Caetano

 

JOÃO PESSOA – A vitória de Arthur Lins e seu ‘Desvio’ reafirmam a força do cinema paraibano. Em 2018 já havíamos destacado essa tendência. Um ano depois ela se reafirma, com um elenco de longas e curtas que, se não é tão impressionante quanto o do ano anterior, coloca sua assinatura no panorama do cinema brasileiro de forma consistente.

Leia crítica de ‘Desvio’

‘Desvio’ ganhou vários outros prêmios, além do principal: entre eles, ator, direção e júri popular. Ficou faltando o da crítica, que optou por Indianara, belo documentário que tem por personagem Indianare Siqueira e seu trabalho político e comunitário no Rio de Janeiro.

Na seção Sob o Céu Nordestino, reservado a concorrentes da região, o cearense Soldados da Borracha, de Wolney Oliveira levou o troféu principal, além do prêmio do público, montagem e trilha sonora. É um belo trabalho sobre os heróis anônimos da 2ª Guerra Mundial.

Leia crítica de ‘Soldados da Borracha’ 

O melhor curta foi Apenas o que Você Precisa Saber de Mim.

 

Vencedores

 

Mostra Competitiva Nacional de Curtas e Longas-metragens – júri formado pelo jornalista e escritor Fernando Morais, o ator Marco Ricca e a atriz Suzy Lopes.

 

Curtas:

  • Som – Felipe Grytz, por “Gravidade”
  • Edição – Daniel Kfouri e Diógenes Moura, por “Um”
  • Figurino – “Apenas o que você precisa saber de mim”
  • Roteiro – Kennel Rogis e Adrianderson Barbosa, por “O grande amor de um lobo”
  • Fotografia – Arturo de la Garza, por “Brasil, Cuba”
  • Direção de arte – Daniel Kfouri, por “Um”
  • Trilha sonora – “Nadir”
  • Atriz – Alice Doro, por “Apenas o que você precisa saber de mim” 
  • Ator – Jean Claude Bernardet
  • Direção – Maria Augusta Nunes, por “Apenas o que você precisa saber de mim”
  • Melhor curta júri popular – “O grande amor de um lobo”, de  Kennel Rogis e Adrianderson Barbosa
  • Melhor curta – “Apenas o que você precisa saber de mim”

 

Longas:

  • Som – Vasco Pimentel, por “Partida”, de Caco Ciocler
  • Edição – Tiago Marinho, por “Partida”, de Caco Ciocler
  • Figurino – “Indianara”
  • Roteiro – Arthur Lins, por “Desvio”
  • Fotografia – Laura Merians, por “Pacificado”, de Paxton Winters
  • Direção de arte – Shiko, por “Desvio”
  • Trilha sonora – Vitor Colares, por “Desvio”
  • Melhor atriz ou personagem retratada – Georgette Fadel, por “Partida”, e Débora Nascimento, por “Pacificado”
  • Menção Honrosa – Lea Garcia, por “Pacificado”
  • Ator – Daniel Porpino, por “Desvio”, e Bukassa Kabengele, por “Pacificado”
  • Direção – Arthur Lins, por “Desvio”
  • Melhor longa Júri Popular – “Desvio”, de Arthur Lins
  • Melhor longa – “Desvio”, de Arthur Lins
  • Prêmio Especial do Júri – “Partida”, de Caco Ciocler
  • Menções Honrosas – “Barretão”, de Marcelo Santiago, e Indianare Siqueira

 

Mostra Sob o Céu Nordestino – júri formado pelos cineastas Emília Silveira e João Batista de Andrade e pelo professor universitário Fernando Trevas.

 

Curtas:

  • Som – Diogo Rocha, por “Faixa de Gaza”
  • Montagem – Kennel Rogis, por “O grande amor de um lobo”
  • Roteiro (dois prêmios) – Ana Dinniz, por “Fim”, e Mailsa Passos, Rita Ribes e Virgínia Oliveira, por “Costureiras”
  • Fotografia – Arturo De la Garza, por “Brasil, Cuba”
  • Ator ou Personagem Masculino – Paulo Phillipe, por “Faixa de Gaza”
  • Atriz ou Personagem Feminino – Arly Arnaud, por “Quitéria”
  • Direção – Lúcio César Fernandes, por “Faixa de Gaza”
  • Melhor curta – “Quitéria”, de Tiago Neves
  • Melhor curta pelo júri popular – “O grande amor de um lobo”, de Kennel Rógis e Adrianderson Barbosa

 

Longas:

  • Som – José Loureiro, Fernando Cavalcante e Lênio Oliveira, por “Soldados da borracha”
  • Montagem – Mair Tavares e Leyda Nápoles, por “Soldados da borracha”
  • Roteiro – Vânia Perazzo Barbosa Hlebarova, por “O que os olhos não veem”
  • Fotografia – Petrus Cariry, por “Currais”
  • Direção de Arte – Carolinne Vieira, Sabina Colares e Thaís de Campos, por “Currais”
  • Trilha Sonora – DJ Dolores, por “Soldados da Borracha”
  • Atriz ou Personagem Feminino – Zezita Mattos, por “Currais”
  • Ator ou Personagem Masculino – Jackson do Pandeiro, por “Jackson, na Batida do Pandeiro”
  • Direção – Sabina Collares e David Aguiar, por”Currais”
  • Melhor longa – “Soldados da borracha”, de Wolney Oliveira
  • Melhor longa Júri popular – “Soldados da borracha”, de Wolney Oliveira
  • Prêmio Especial do Júri –  “Jackson – Na batida do pandeiro”, de Marcus Vilar e Cacá Teixeira 

 

Prêmio Júri Abraccine – júri da Associação Brasileira de Críticos de Cinema (Abraccine) foi composto por Luiza Lusvarghi, Flávia Mayer e João Batista de Brito. 

  • Melhor Curta – “Faixa de Gaza”, Lúcio César Fernandes 
  • Melhor Longa-metragem – “Indianara”, de Aude Chevalier-Beaumel e Marcelo Barbosa

 

Tudo o que sabemos sobre:

Fest Aruanda