As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Argo vence o Oscar 2013, em premiação pulverizada

Luiz Zanin Oricchio

25 Fevereiro 2013 | 03h06

Como se imaginava, Argo, de Ben Affleck, venceu, mas não de maneira acachapante. Além de melhor filme, levou os troféus de montagem e roteiro adaptado.

Em termos numéricos, As Aventuras de Pi foi  além: fotografia, efeitos visuais, trilha sonora e um inesperado troféu de direção para Ang Lee.

Os Miseráveis também foi bem, com maquiagem, mixagem de som e atriz coadjuvante para Anne Hathaway.

Daí se conclui que a decepção da noite foi de Lincoln. Além do esperadíssimo prêmio de ator a Daniel Day Lewis, ganhou apenas o de desenho de produção. O grande derrotado foi Steven Spielberg, que saiu favorito com 12 indicações e acabou com esse reconhecimento pífio para um dos seus melhores e mais maduros filmes. Pena.

Django Livre deu a Tarantino o troféu de roteiro original e a Christoph Waltz o também esperado prêmio de melhor ator coadjuvante.

Atriz foi a gracinha Jennifer Lawrence que derrotou Emmanuelle Riva, no magnífico Amor que, previsivelmente, levou o prêmio de melhor filme estrangeiro.

Um filme que provocou muita polêmica e cresceu na opinião de muitos, o controverso A Noite mais Escura ficou apenas com Edição de Som.

O Mestre, de Paul Thomas Anderson, sequer foi lembrado.

Basicamente foi isso. No resto, o de sempre. Cerimônia longa e chata, piadas manjadas e um tanto grosseiras, etc. Nada que não estivesse no script.

A premiação completa, você encontra aqui.

http://oscar.go.com/nominees