As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Alguns esclarecimentos sobre Memórias do Desenvolvimento

Luiz Zanin Oricchio

27 de abril de 2010 | 13h49

Amigos, outro dia escrevi sobre os livros de Edmundo Desnoes Memórias do Subdesenvolvimento e Agora é Minha Vez. A tradutora dele, Elen Döppenschimitt faz algumas observações sobre o texto. O próprio Desnoes manda uma nota, transcrita abaixo. Leiam, por favor.

“Vi a nota que vc publicou no site, entretanto preciso fazer uma correção. A informação de que o livro AGORA É MINHA VEZ (epílogo de MEMORIAS DEL DESARROLLO que em espanhol recebeu o titulo de TE SIGO) seria filmado por Coyula é incorreta. Miguel Coyula, jovem cineasta cubano, já filmou e exibiu Memorias del Desarrollo, inclusive pela internet é possível assistir a alguns fragmentos. Participou de vários festivais este ano e recebeu prêmios e elogiosas criticas.

Edmundo Desnoes, embora tenha também colaborado no roteiro deste filme de Coyula, desaprovou a versão cinematográfica concebida por Miguel, sobretudo, pelo fato de que, segundo sua opinião, o estilo fragmentado da narrativa e o exagerado uso de efeitos especiais tiravam a tônica que ele, Desnoes, queria para o filme, isto é,  a densidade dos diálogos que sustentariam o principal tema do filme: o combate de ideias entre as diferentes gerações de cubanos.

O livro lançado no Brasil pelo Memorial (AGORA É MINHA VEZ) que oferece apenas do epílogo de Memórias del Desarrollo e de um roteiro para o mesmo é parte de outro projeto de Desnoes: filmar um terceiro filme a partir apenas desse epílogo, o qual não faz parte da narrativa do filme de Coyula.
No contato com jovens diretores de cinema brasileiro, quando de sua vinda ao país em 2008, Desnoes despertou o interesse para que este terceiro filme acontecesse no Brasil, pois segundo ele, o país seria territorio neutro da polêmica CUBA/EUA como utopia, oferencendo-se como uma possibilidade de reconciliação e refúgio “moderno” para os ultimos dias do protagonista Sérgio (Desnoes).

Segue o mail dele abaixo, após ler teu texto.”

Memories of Overdevelopment le extiende la vida  a Sergio/Edmundo y lo pone en el siglo XXI; varios jóvenes, en Cuba y aquí, me han dicho que la prefieren a Memorias I. En lugar de un desarrollo del personaje presenta escenas cortas, fragmentos dominados más por trucos técnicos y vivencias aisladas que por profundización del personaje. Creo que es el idioma de la juventud, que  percibe el mundo en mordidas fugaces y no busca la ilusión de profundidad en el tiempo. Creo que mi personaje se está convirtiendo en  un vehículo para diferentes encarnaciones. Todo éxito incluye una distorsión y una simplificación.
Edmundo Desnoes

Tendências: