As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

A volta e o Prêmio

Luiz Zanin Oricchio

16 de abril de 2008 | 17h16

FORTALEZA
Já estou de volta a Fortaleza, depois da transmissão ao vivo do Grande Prêmio Brasil de Cinema, no Rio de Janeiro. Foi uma festa muito agradável, pelo menos da minha perspectiva, eu que tenho meio bode com cerimônias. Achei divertido. E também me diverti fazendo a transmissão ao lado de Simone Zucolotto que, além de ótima apresentadora, é uma graça de pessoa. Depois que saímos do ar, descemos todos para a festa e fomos tomar uns tragos e confraternizar. Encontrei um montão de gente por lá. João Miguel, Claudio Assis, Barretão, Hermila, Bianca, Janot…etc e tal. A turma do cinema. Foi legal. Festas são importantes, embora não se possa viver delas.

Enfim, a premiação. Achei que tinha muito filme bom concorrendo. Parte pelo fato do cinema nacional viver um bom momento; parte porque se acumulou um ano e meio de concorrentes. Daí a pena de deixar alguns de fora. O mesmo para atores e atrizes. Tinha muita gente boa competindo entre si. Só dou um exemplo ou dois. Dá para não premiar Carla Ribas por Casa de Alice? Não dá. No entanto, como negar que Hermila Guedes é extraordinária em O Céu de Suely? Dessa forma, o prêmio é injusto? Acho que não. Santiago derrota Jogo de Cena como documentário. É injusto? Não. Santiago é um tremendo filme. Talvez Jogo de Cena tenha um tantinho a mais, inclusive pela crise que coloca na distinção entre ficção e documentário. Mas premiar o outro não é aberração; muito pelo contrário.

Já eleger Pequena Miss Sunshine quando se tem Volver e Os Infiltrados é de doer. Acho que esse foi um vacilo isolado na votação da Academia. Nota posterior.

Errei, sim, manchei o teu nome, etc. O prêmio foi do público não da Academia. Portanto, vacilo do público, e do blogueiro.

Agora chega de Prêmio Brasil, pelo menos por ora. Mergulho de novo no Cine Ceará, que entra na reta final. Daqui a pouco vou ao cinema ver o novo filme de Walter Lima Jr., Os Desafinados e, em seguida, o último longa em competição, o argentino Las Vidas Posibles.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.