As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

A morte de Carlo Ponti

Luiz Zanin Oricchio

10 Janeiro 2007 | 15h21

Carlo Ponti pode ter ficado mais conhecido mundialmente em razão do seu longo e polêmico casamento com Sophia Loren, mas, com sua morte, é toda uma página do cinema italiano que se fecha. Morto na terça-feira, aos 94 anos, em Genebra, de complicações pulmonares, Ponti pertenceu à estirpe dos grandes produtores, aqueles que se dedicam com ânimo e sentido de aventura ao cinema. E, se fizeram da tal da sétima arte um excelente negócio pessoal, deixaram também escrita em sua biografia uma série de belos filmes, e mesmo de obras-primas.

Ponti tem em seu currículo, agora fechado, filmes como A Estrada da Vida, de Federico Fellini e Blow Up – Depois Daquele Beijo, de Michelangelo Antonioni, além do extraordinário sucesso de Doutor Jivago, de David Lean, que colocou na tela uma versão adocicada do grande romance de Boris Pasternak. Mas essas são apenas algumas das obras mais conhecidas entre as cerca de 150 que Ponti produziu ao longo de sua vida.

Leia na íntegra