As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

À Deriva

Luiz Zanin Oricchio

22 de maio de 2009 | 14h10

Parece que o novo longa-metragem de Heitor Dhalia foi bem recebido em Cannes. Legal. Vi o filme agora de manhã em sessão para a imprensa e também gostei. Acho que é o trabalho mais límpido de Heitor. Ele se desfaz de alguns penduricalhos cinematográficos, presentes em Nina e Cheiro do Ralo, ao contar essa historia familiar passada à beira-mar, em Búzios.Quer dizer, caminha no sentido da simplicidade, o que é sempre uma conquista. Vincent Cassel e Déborah Bloch fazem o casal cuja crise irá se refletir sobre os filhos adolescentes. Em especial sobre Felipa (Laura Neiva), garota que foi encontrada através do site de relacionamento Orkut e é uma bela revelação de atriz. O filme narra esse rito de passagem da adolescência para a idade adulta com intensidade e delicadeza, fazendo pensar em Truffaut na linha de influências de Dhalia.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.