As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Voltando…

Luiz Carlos Merten

05 Dezembro 2014 | 15h49

LONDRES – Cá estou em Londres, em Heathrow, iniciando meu caminho de volta. Queria ter estado hoje de manhã em São Paulo para rever, na cabine de imprensa, O Hobbit – A Batalha dos Cinco Exércitos. O que é o cinema? O cinema de Peter Jackson tem alguns belos exemplos e, no filme atual,. vale a troca de olhares entre Aidan Turner e Evangeline Lilly, quando Kili, o anão, face à morte iminente, despede-se mudamente da elfa Tauriel. Surtei com aquilo, mas hoje pela manhã estava em Paris. Fui num bate/volta. Paris é sempre uma festa, mas com as encomendas que me fez a Lúcia e o monte de atrações – retrospectiva e exposição sobre os 30 anos da morte de François Truffaut, um evento chamado Les Habitants, na Fundação Cartier, com obras de Tarsila, Francis Bacon, David Lynch e Patti Smith, o revival de La Croix de Bois, clássico antimilitarista esquecido dos anos 1930 etc – foi difícil dar conta de muita coisa num espaço de tempo tão curto. E a vida me reserva surpresas. Quase não tenho tido tempo de rever minha amiga Leila Reis em São Paulo. Ela está em Paris a trabalho e jantamos ontem num restaurante da Madeleine. Foi muito gostoso. Aproveitei para comprar livros (a autobiografia de William Friedkin, uma série de entrevistas com Claude Sautet, outro de Rencontres avec Jean-Marie Straub e Danièle Huillet, mais um volume sobre o numérique (digital) no percurso de David Fincher) e rever na tela grande M. Klein, um grande (Joseph) Losey e namorar, no Champô e na Filmoteca do Quartier Latin, dois cinemas de arte e ensaio próximos à Sorbonne, onde fiquei hospedado, os cartazes de próximas reestreias que também espero (re)ver  a caminho ou na volta de Berlim. Todo Sautet (As Coisas da Vida, César e Rosalie, Max et les Ferrailleurs e Paul, Vincent, Theo e os Outros) e Colorado, de Sergio Sollima, com Tomás Milian e Lee Van Cleef. Bendito Olivier Père – no cartaz, ele diz que, se for preciso escolher um só spaghetti western, tem de ser o de Sollima. Meu único problema é que, por mais que goste de La Resa dei Conti – título original, O Dia da Desforra, no Brasil -, o meu Sollima é Corri, Uomo, Corri, também com Tomás Milian, feito dois anos mais tarde. Estou redigindo esse post só para dar notícia. De volta a São Paulo, espero postar amanhã sobre meu encontro com Peter Jackson. Embora breve, superou minha expectativa. Para vocês que aí estão, uma boa pedida é o Noitão de hoje do Belas Artes. O Senhor dos Aneis 1 , 2 e 3 e O Hobbit 1 e 2, Uma Jornada Inesperada e A Desolação de Smaug. Nada melhor como aquecimento para A Batalha dos Cinco Exércitos, na semana que vem.