As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Vai que vamos!

Luiz Carlos Merten

20 Setembro 2013 | 19h06

Tanta coisa para postar. Gosto bastante do filme de Laurent Cantet que estreia hoje,  Foxfire, mas quero mesmo é destacar que o Indie 2013, que também começou hoje, tem programas bem interessantes, inclusive o novo longa de Danis Tanovic, Um Episódio na Vida de Um Catador de Ferro. O filme inspira-se numa história real que sensibilizou o diretor – a luta de um cigano para salvar a mulher, que pode morrer porque eles não têm plano de saúde numa emergência – e que Tanovic reconstitui com os próprios protagonistas do drama. Gostei demais, e acho que vocês também vão gostar do filme premiado em Berlim, em fevereiro, e que passa daqui a pouco no CineSesc. Não posso deixar de acrescentar que adorei que O Som ao Redor tenha sido indicado pelo Brasil como concorrente para o Oscar de melhor filme em língua estrangeira. Temia que Flores Raras fosse o indicado, mas parece que o filme terminou descartado pelo óbvio, para o qual não atentara. Se a categoria é de filme em língua estrangeira, não faria sentido candidatar um programa que é, em boa parte, falado em inglês. Melhor para o longa de Kleber Mendonça Filho, que já havia feito uma bela carreira no circuito de arte dos EUA, com elogios até do The New York Times. Durante anos, as comissões escolheram filmes que achavam que agradariam aos gringos e tinham a cara do ‘Oscar’. Finalmente, uma comissão fez sua escolha baseada na qualidade do filme. Por mais que goste de Faroeste Caboclo, de René Sampaio, acho que O Som ao Redor tem mais potencial. Vou torcer para que o filme chegue lá. Kleber, que vai ser pai de gêmeos, sua mulher e produtora, Emilie, e Sílvia Cruz, da minúscula mas exponencial Vitrine. Já estou imaginando todos eles de black-tie, no tapete vermelho do Kodak Theatre. Vai que vamos!