As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Tem Brasil no Oscar!

Luiz Carlos Merten

13 de janeiro de 2020 | 11h58

Aleluia! Tem Brasil no Oscar. Petra Costa foi indicada para o prêmio de melhor documentário por Democracia em Vertigem e o fato deve repercutir além da agenda cultural, porque Petra, de uma grande família de empreiteiros – e falando na primeira pessoa, como gosta de fazer – questiona o Brasil dos últimos anos. Falando de dentro, numa perspectiva de classe, diz que o impeachment foi golpe e a Lava-Jato foi armada contra o PT, e só para livrar a cara condenou políticos de outros partidos. O alvo da caçada era o ex-presidente Luiz Inácio da Silva. Aguardem – os antikleberistas de plantão deverão transferir seu ódio para ela. Coringa lidera as indicações, com 11; Era Uma Vez… em Hollywood, O Irlandês e 1917 ficaram com dez cada. Por mim, o longa – e põe longa nisso – de Martin Scorsese não leva nada. Num primeiro momento, já cravei minhas apostas no portal.
Filme – 1917
Diretor – Sam Mendes
Ator – Joaquin Phoenix
Atriz – Renee Zellweger
Ator coadjuvante – Brad
Atriz coadjuvante – Scarlett Johansson
Melhor filme internacional – Parasita (mas até o fim estarei torcendo pelo Almodóvar, Dor e Glória).
Tudo muito parecido com o Globo de Ouro, reconheço, exceto pela Scarlett. Não torço pela Laura Dern, e não porque ela não esteja bem em História de Um Casamento. Minha stand-by na categoria é Kathy Bates, como a mãe de Richard Jewell no Clint.