Teddy Bear
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Teddy Bear

Luiz Carlos Merten

15 de fevereiro de 2014 | 18h14

 

BERLIM – Apesar de decepcionado com as deliberacoes do juri de Berlim – em Cannes, James Schamus ateh poderia ser jurado, mas presidente, nunca! -, nao rezo na cartilha dos que estao achando que o festival foi ruim. Vi muita coisa boa, a comecar pela selecao brasileira. E acho que o Brasil, no computo geral, se saiu alem da expectativa com o longa de estreia de Daniel Ribeiro. Alem do premio da critica no Panorama, Hoje Eu Quero Voltar Sozinho foi o segundo mais votado na secao, e o Panorama soh fica atras da competicao. Seria o equivalente de Un Certain Regard em Cannes. Daniel, poderoso – poderosinho, porque ele tem cara e jeito de moleque -, uniu publico e critica. E ainda ganhou, acho que foi inedito para o Brasil, o Teddy Bear, o Urso de Ouro gay. Publico, critica e militancia, todo mundo unido em torno da historia do garoto cego com coragem para sair do armario. O filme de Karim Ainouz, Praia do Futuro, tambem nao deixa de ser sobre coragem e medo. O publico aplaudiu calorosamente o desfecho em todas as sessoes de Hoje Eu Quero… Soh quero ver como as plateias brasileiras vao reagir. Se depender do meu esforco, o filme vai bater o recorde de 100 mil espectadeores da distribuidora de Silvia Cruz, a Vitrine.

Tudo o que sabemos sobre:

Festival de Berlim; Cinema

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.