As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Sobre viver

Luiz Carlos Merten

24 de abril de 2013 | 12h11

CANCUN – Aqui estou ainda em Cannes, duas horas atras de voces. Poor volta do meio dia (daqui) deixo o hotel e rumo para o aeroporto.  Volto para Sao Paulo via Miami, devendo chegar amanhah pela manhah. Provavelmente nao poderia estar escrevendo o que vou dizer agora, por causa de embargo, mas na entrevista com Matt Damon ele falou com tanto carinho e admiracao sobre o amigo Ben Affleck. Nao vacilou quando lhe perguntei qual o melhor filme recente que viu – Argo! Ben Affleck juntou-se a um grupo de personalidades preocupadas em escrutinar a linha de pobreza no mundo –  o Global Poverty Project – e, durante alguns dias, ateh 3 de maio, vai viver com apenas US$ 1,50 por dia, em torno de R$ 6, para comida e bebida, que eh o que milhoes (bilhoes) de pessoas dispoem no mundo, na atualidade. Pode ser que saia alguma coisa dai, mas essa preocupacao pela miseria e pela exclusao social jah estah no centro de Elysium, de Neill Blomkamp, que Matt – e Wagner Moura e Alice Braga – vieram divulgar no Mexico, no evento da Sony. Pode ser culpa das Majors, das stars, mas Will Smith e o filho, Jaden, usaram o pre-lancamento de Depois da Terra para, no dia seguinte ao Dia da Terra, participar de um evento  global com especialistas para discutir o estado (e o futur) do planeta. Como serah a tecnologia dentro de 30 anos? Que ferramentas ela poderah dar para garantir um futuro melhor, para retirar esses bilhoes de pessoas da sua miseria e para diminuir, jah que parece dificil acabar com isso, as agressoes ao meio ambiente? O que esses cientistas nos disseram eh que a Terra jah atravessou cataclismos e sempre dah um jeito de sobreviver. No filme de M. Night Shyamalam, a humanidade abandonou o planeta hah 1000 anos e agora um acidente espacial lanca pai e filho, Will e Jaden Smith, na Terra que virou um paraiso (ou inferno, depende) selvagem, habitado por feras e alguma coisa que nao aparece direito, mas encerra grande perigo para o garoto. No melhor estilo Shyamalan, a chamada publicitaria de After Earth se faz em torno das frases `O perigo eh real, o medo eh uma escolha` e esses sao temas que atravessam a obra do director, dando-lhe a sua dimensao… Espiritual? Metafisica? Tergiverso, mas com tantos filmes sobre catastrofes e o fim do mundo aqui em Cancun, a preocupacao pelo assunto eh pertinente.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: