As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Sete!

Luiz Carlos Merten

25 de fevereiro de 2015 | 10h03

Comprei o movie guide de Leonard Maltin (2015), sempre muito útil para conferir datas, nomes e duração – e tudo isso é muito importante para quem faz filmes na TV. Mais de 300 novos filmes, cerca de 16 mil títulos no total. Fui checar alguns dos novos, que com certeza não estariam na lista do ano passado. Os vencedores do Oscar 2014 – American Hustle/Trapaça, de David O. Russell, ganhou duas estrelas e meia (num total de cinco), 12 Anos de Escravidão, de Steve McQueen, que venceu o prêmio da Academia, três e meia, e Gravidade, de Alfonso Cuarón, quatro. Chequei o filme de Cuarón, mexicano como o grande vencedor deste ano, Alejandro González-Iñárritu, de Birdman ou (A Inesperada Virtude da Ignorância). Lembrava-me, claro, do Oscar de direção, que Iñárritu também ganhou, mas não que Alfonso co-assina o script com seu filho Jonah Cuarón (achava que era só do garoto). Tudo bem que Alfonso e Jonah não levaram o Oscar de roteiro, mas, além do de direção, Gravity ganhou mais seis – ultrapassando o número de prêmios que teve Birdman: quatro. Iñárritu levou o principal (melhor filme), o que faz uma diferença e tanto, mas não apenas Emmanuel Lubezki já havia recebido o Oscar de fotografia, que repetiu este ano, como Gravidade levou montagem (do próprio Cuarón), edição de som, montagem de som, música e efeitos visuais. Sete! Só me restava conferir o Wes Anderson. Como Grande Hotel Budapeste estreou em fevereiro/março nos EUA, com certeza já deveria estar no guia do ano. Está, e com a mesma cotação de Gravidade, quatro estrelas. Vamos ter de esperar pelo guia de 2016 para ver, se como eu, Maltin credita mais Grande Hotel Budapeste – sobre Birdman  e Boyhood, de Richard Linklater, que, de favorito, despencou na premiação de 2015.