As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Rumo a Londres, mas feliz com o REDENTOR

Luiz Carlos Merten

11 de outubro de 2013 | 17h50

PARIS – Pois é. Cá estou no aeroporto Charles De Gaulle, rumo a Londres. Chego e já vou correndo para entrevistar Tom Hanks e o diretor Paul Greengrass, de Captain Phillips. Mas eu estou nas nuvens – Leandra Leal ganhou o Redentor de melhor atriz por O Lobo Atrás da Porta, e Martha Nowill foi a melhor coadjuvante, por Entre Nós. O longa de Paulo e Pedro Morelli ganhou também o prêmio de melhor roteiro. O júri meio que rateou os prêmios, e não fez mal, exceto na categoria de documentários. Não estou seguro de que Histórias de Arcanjo, sobre Tim Lopes, seja melhor do que o do Circo Voador. E, considerado como documentário, mesmo que seja um híbrido (de ficção), A Gente teria levado meu prêmio, com certeza. Marcelo Gomes e Cao Guimaraes ficaram com a melhor direção, De Menor foi melhor filme, dividido com Lobo Atrás da Porta. O filme da Caru, filha de Tata Amaral e Francisco Cesar Filho – Caru Alves de Souza -, foi a surpresa desse festival. Forte, muito bem construído e montado, e Jean-Claude Bernardet me disse que há outra versão, com uma montagem mais forte ainda. Vou tentar postar mais alguma coisa, mais analítica, adiante. Mas achei interessante que no júri, cheio de gente cabeça, tenha privilegiado o cinema narrativo, mesmo que não exatamente `tradicional`.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.