As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Romances policiais

Luiz Carlos Merten

02 de maio de 2014 | 10h01

RECIFE – Vocês que me acompanham no blog sabem que nenhum filme de Louis Malle me agrada tanto como O Ladrão Aventureiro. É uma retomada, em outro contexto, de 30 Anos Esta Noite, com Maurice Ronet. Jean-Paul Belmondo faz o ladrão do título. É o anti-Arsène Lupin, embora a época e o cenários sejam os mesmos. Paris, a Belle Époque. O ladrão compulsivo de Malle é um anarquista que se opõe ao preceito de propriedade. Se não fosse tão individualista, talvez se engajasse nos movimentos revolucionários de seu tempo. Prefere agir sozinho. O perigo vira a sua adrenalina, mas ele se destroi por dentro. Amo aquele filme, ou então é o fato de nunca mais tê-lo revisto. Ele fica passando só no meu imaginário, e eu o retoco, aprimoro. Vira o meu filme. que não sei mais quanto tem a ver com o original. Muitos Homens num Só, de Mini Kertis, último filme da mostra competitiva internacional do Cine PE, tem um pouco disso. Baseado num original de João do Rio, que por sua vez se inspirou numa figura real, o filme cria esse personagem de ladrão galante. O policial usa métodos modernos (para a época, o começo do século 20) para tentar prendê-lo. O jornalista o vê como um anarquista, um contestador. Vladimir Brichta é quem faz o papel, e tem suas motivações. Envolve-se com uma mulher burguesa, cujo marido oprime sua vocação artística. Alice Braga volta ao cinema brasileiro e é bom, porque se Hollywood lhe dá projeção, os grandes, os melhores papeis são aqui. Como artista – desenhista – ela capta a tristeza no olhar do protagonista, muito interessante. A diretora Mini Kertis não esquece a política, mas cria um herói aventureiro, meio Arsène Lupin, e eu adoro Maurice Leblanc. Daqui a pouco tem a entrevista, vou saber como foi a produção, mas tenho a impressão de que o filme não é caro, a reconstituição é que é inteligente. Gostaria de emendar essas observações ligeiras com outras sobre Romance Policial, o novo Jorge Durán, com Daniel Oliveira, do qual gostei bastante. Foram dois romances policiais ontem à noite, na tela do Cine PE. Mas preciso correr para a entrevista do Muitos Homens. Depois eu volto.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: