As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Resgate Animal

Luiz Carlos Merten

29 Dezembro 2014 | 14h06

Não, não é a série de TV da Grifa e da Gullane, apresentada pelo Animal Planet. Em Buenos Aires, além de todos aqueles filmes a que já me referi – Adeus à Linguagem, El Perro Molina, Jauja – assisti também a La Entrega, que o belga Michael R. Roskam, de Bullhead, adaptou de Dennis Lehane, Animal Rescue. No original, chama-se The Drop e é um drama criminal sólido. Gostei demais. Tom Hardy, puta ator, faz o herói. Trabalha no bar do tio, James Gandolfini, e o bar é ponto de entrega da féria de criminosos. Um assalto logo no começo deixa Hardy e Gandolfini à mercê de um chefão russo, e vocês sabem – desde Os Senhores do Crime, de David Cronenberg -, como são sanguinários esses caras. Hardy encontra um filhote, o cão parece sem dono e, por meio dele, Hardy se envolve com Noomi Rapace, que vem de uma ligação traumatizante com o psicopata Leeds – interpretado por Matthias Schoenaerts, o ator de Jacques Audiard em Ferrugem e Osso. Schoenaerts resolve pressionar Hardy fazendo seu cão de refém. Não sabe no que se mete. Para resgatar o animal (o título do original de Lehane, um conto que o escritor transformou em romance e agora adapta para o cinema), Hardy faz uma guerra. Nunca vi gente mais ferida, solitária, com tantos segredos ocultos. Quando eles vão sendo revelados, caem as máscaras e as pessoas revelam sua verdadeira face, a verdadeira natureza, que é outra. Ninguém é o que parece ser. Há um policial que vive encontrando Hardy na igreja e que cobra dele o fato de nunca comungar. A igreja, no final, é vendida. Vai virar condomínio. Que mundo é esse? Gostei demais dos personagens, do tom. Roskam é ótimo, mas seu filme, que não se assemelha a nenhum outro, fica melhor ainda pelo elenco. Hardy, Noomi, Schoenaerts. E, claro, James Gandolfini. Quando que esse cara morreu? Em junho do ano passado. Desde então, estrearam quantos filmes com ele? La Entrega/The Drop – como vai se chamar no Brasil? – parece ser o último. Era muito bom, um daqueles coadjuvantes que engoliam astros.