As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

O Gângster

Luiz Carlos Merten

09 de dezembro de 2007 | 13h12

Vocês já devem ter percebido que ando muito reticente quanto a falar sobre ‘American Gangster’, de Ridley Scott, que vai ser lançado aqui em janeiro, com o o título de ‘O Gângster’. O problema é que vocês andam me cobrando e eu tenho de dizer alguma coisa. É filme para Oscar, com certeza, e eu estou curioso para saber quem será indicado para melhor ator? Denzel Washington? Russell Crowe poderá concorrer por ‘3:10 to Yuma’? Será indicado como coadjuvante por ‘O Gângster’? O filme de Ridley Scott até certo ponto me lembra ‘O Informante’, de Michael Mann, que tinha dois papéis masculinos fortíssimos, mas só Russell Cowe foi indicado (e perdeu para o Kevin Spacey de ‘Beleza Americana’). Aqui, acho que vai ser o Denzel, embora Russell Crowe seja tão protagonista quantro ele. Não é segredo para ninguém que eu gosto de Ridley Scott e chego a defender ‘O Bom Ano’, que foi saco de pancada para tanta gente. Gostei de ‘O Gângster’, mas o filme me desconcertou e, num certo sentido, decepciopnou. O roteiro de Steve Zaillian cria esses dois personagens fortes – o gângster negro e o policial, Denzel Washington e Russel Crowe. Ambos, em campos opostos, são apresentados como iguais – profissionais, obsessivos, éticos (mesmo que a ética de um seja a da legalidade e a de outro, a do crime). Durante todo o tempo, já que são tão iguais – e enfrentam a corrupção da polícia, cada um à sua maneira –, a gente fica (eu fiquei) se perguntando o que vai ocorrer com dois? Vão se confrontar, e matar, ou unir? Meu problema com o filme – e por isso acho que tenho de revê-lo antes de formar uma opinião definitiva – é que não tive empatia nenhuma pelo personagem do Crowe. Devia ser intencional, por parte do roteirista e do diretor, fazê-lo antipático, só que o recurso não funcionou comigo no desfecho. O filme é forte, mas, de alguma forma, o final não me satisfez. Sinto que este post está muito cifrado. O que estou dizendo só vai fazer sentido quando todo mundo tiver visto ‘O Gângster’. Tinha altíssima expectativa, mas não achei um grande Ridley Scott.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.