As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Na estrada…

Luiz Carlos Merten

24 de novembro de 2013 | 14h41

RIO – Olá, cheguei quarta de Los Angeles e fui emendando uma coisa na outra. Festival do Rio no Cinesesc (e debate com Ilda Santiago na quinta-feira, o Cinema da Vela, nem tive tempo de chamar vocês). Na sexta houve a coletiva de lançamento do Festival Italiano, com direito a três Tavianis – um no MIS, Franco Brogi, e dois em Roma, no telão, Paolo e Vittorio. A todas essas fui ver Jogos Vorazes – Em Chamas, que achei uma bela m… (o primeiro era melhor), embora a fúria de Jennifer Lawrence no desfecho, sua transformação perante a câmera – equivalente a uma declaração de guerra – seja demais. Essa garota não é mole, não, mas o filme é brega demais, uma colcha de retalhos, espécie de mixórdia pós-moderna, pelamor de Deus. Dia após dia, tenho emendado programas que até eu duvido – Mabuse 1 e 2, de Fritz Lang, as versões restauradas, Sob o Signo do Escorpião, Antônio Conselheiro – O Taumaturgo do Sertão (na Sala Olido) e aquele documentário sobre sadomasô produzido pelo James Franco. São coisas tão díspares que acho que não estou tempo de assimilar. Brinco, claro. Agora mesmo, pela procedência, vocês já sabem onde estou. Rio, a Semana dos Realizadores. Quero ver algumas coisas – a Semana vai para São Paulo, acho que no CCBB – e espero poder entrevistar Domingos Oliveira e Júlio Bressane, cujos novos filmes estreiam na próxima sexta (e na seguinte). Na quarta, pretendo estar de volta a casa, até porque é o dia, aí em São Paulo, de Riccardo Scamarcio no Festival Italiano e espero entrevistar o sr. Valeria Golino. Agora, vou aslmoçar. Estou na sucursal, terminando as matérias de amanhã do Caderno 2. Estou só dando notícias. Sumi – do próprio blog. Mas voltei, e isso é que importa.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: