As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Monica!

Luiz Carlos Merten

02 de maio de 2013 | 23h05

RIO – Deixei o Recife de manhã cedinho e vim para o Rio. Cheguei no hotel no fim da manhã e à tarde já estava fazendo as entrevistas do Festival Varilux do Cinema Francês. Benoit Jacquot, de Deus, Minha Rainha; Danièle Thompson, de Aconteceu em Saint Tropez; e…. Monica Bellucci! Na última vez em que havia visto Monica, em Cannes, fopi após sua última gravidez e ela estava exuberante, mas redonda. Uns 10 quilos acima do peso atual. Não acreditei quando ela chegou para a entrevista. Aos 48 anos, o corpinho está de 30. Que corpinho, que nada! Ela pode ter emgracedo, e é muito alta, mas é cheia nos lugares certos. Vanity Fair, a versão espanhola, diz que é a mulher mais sexy do mundo e está certa. A entrevista estará no Caderno 2 de amanhã, que agora fecha à noite – 19 horas -, mas antecipo que Monica está feliz da vida com a decisão do marido, Vincent Cassel, e dela de incorporar o Brasil às bases de ambos. Continuam tendo casas em Paris, Londres e Roma, mas agora acrescentam a estas o Rio. Monica entende bem o português, mas fala ‘bem pouquinho’. Diz que as filhas, sim, abrasileiraram. Já entrevistei o maridão, mas nunca fiz a pergunta que todo macho gostaria de ver respondida – como é ser casado com Monica Bellucci, e pela pergunta entendam como é c… Monica Bellucci? Tomei um choque quando conversando, o assunto caiu no que, para mim, foi uma revelação. Vincent é filho de Jean-Pierre Cassel, o ator-fetiche de Philippe De Broca, o comediógrafo da nouvelle vague. Jean-Pierre Cassel! Philippe De Broca! Monica diz que o marido, com o tempo,  se parece cada vez mais com o pai. Acrescenta que o segredo do casamento é que ambos não se tolhem. Não sentem que têm de estar sempre juntos e habitam mundos separados, embora se apoiem quando necessário. Na carreira, ela prefere os paspeis quea testam – e revelam o que há de sombrio na natureza humana. Acrescentou que já sofreu muito preconceito – por sua beleza. Na escola, as pessoas se surpreendiam porque tinha boas notas. Bela daquele jeito, teria de ser burra. O que a atraiu na comédia de Danièle Thompson, a par do fato de ser uma diretora – e ela gosta de trabalhar com mulheres, embora não o faça com frequência -, foi o fato de o filme ser bem escrito, num estilo de humor doce-amargo. Quando elogiei sua beleza e elegância, estávamos no anexo da piscina do Sofitel. Pedi-lhe que se levantasse para que a visse de corpo inteiro. Ela levantou, deu meia volta e sorriu – ‘Gostou?’ Vestia Dolce Gabana – Gabaná, porque falamos em francês, com pontuais observações em italiano. Imagino que vocês gostarão de saber que o próximo filme será com Emir Kusturica, de novo iluminando as sombras da natureza humana. Toda a correria do dia valeu a pena. A Malena de Giuseppe Tornatore, aos 50 (quase!), segue sendo uma deusa.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.