As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Mix Brasil (4)/Terminando…

Luiz Carlos Merten

20 de novembro de 2019 | 08h54

Termina nesta quarta o Mix, Festival de Diversidades. Ainda vou tentar ver O Príncipe. Não dei conta de que assisti a Port Authority, e de que gostei do filme de Danielle Lessowitz, produzido por Rodrigo Teixeira, que surtou quando leu no blog, ou lhe contaram, que havia achado O Farol uma m… Não é nada pessoal – contra ele -, mas o estiloso The Lighthouse me pareceu o mais fake dos filmes, ao passo que o garoto e a trans de Port Authority, Fionn Whitehead (de Dunkirk) e Leyna Bloom, me comoveram de verdade. E lá sabia eu da cena kiki de Nova York? Aprendi, e achei dos melhores filmes da RT. Se outros não gostaram, azar deles. Também assisti ontem, numa cabine, ao novo filme de Gustavo Galvão, Ainda Temos a Imensidão da Noite. É outro filme que poderia estar no Mix Brasil. Rock brasiliense. uma garota que segue o ex na Alemanha, onde descobre que ele é bi e forma triângulo. Karim Aïnouz foi consultor e o filme tem tudo a ver com Praia do Futuro, que considero o melhor filme do diretor de A Vida Invisível. Ainda Temos estreia nas próximas semanas, talvez na próxima. Pretendo voltar ao filme e à sua trilha, mas gosto mesmo é do Galvão, da forma como ele filma afetos sem medo nem nhenhenhem. A cena do Almirante//Nelson Xavier com Juliana Paes em A Despedida, o triângulo do novo filme. Gustavo Galvão não é fraco, não.

Tendências: