As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Melodrama

Luiz Carlos Merten

07 de julho de 2007 | 11h35

Quem foi mesmo que me comentou que me viu no Melodrama da Cia. dos Atores, do Enrique Diaz? Vi e gostei. Acho sensacional o trabalho do grupo, que é sempre muito rico e estimulante. A turma do Enrique desconstrói clássicos como Hamlet e A Gaivota, ou então gêneros como o melodrama. E eles têm um humor muito inteligente, muito legal. Naquele dia, consegui falar com o diretor, antes que o espetáculo começasse, e cobrei – já muito íntimo – sobre o ‘nosso’ filme? Tenho muita curiosidade de ver o tipo do filme que Enrique, irmão de Chico Diaz, faria, a partir da confissão dele de que adora cinema. O problema, Enrique me confessou, é que ele não é muito de escrever. O trabalho na Cia. dos Atores é criado conjuntamente com os intérpretes, na improvisação. Um filme exigiria roteiro, inscrever nas leis de patrocínio, essa coisa toda. Enquanto Enrique não encara, o cinema brasileiro fica privado de seu talento. Quanto a improvisar com os atores, é o que fazem Ken Loach e, principalmente, Mike Leigh. A partir do tema escolhido, ML trabalha na base da improvisação com os atores até fixar as cenas que irão compor o roteiro. Enrique Diaz já faz isso no teatro, por que não no cinema? Ah, sim,. Hoje tem Gaivota no Sesc Pinheiros. Vale ver.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.