As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

‘Mais’ tu tá queimando…!

Luiz Carlos Merten

28 de julho de 2012 | 08h54

Imagino que vários de vocês tenham percebido o equívoco, mas só Ezequiel, que eu tenha visto, postou um comentário fazendo a correção. A chacina do Batman ocorreu em Aurora, Colorado, e não em Alberta, que fica no Canadá. Havia percebido e me preparava para fazer a corereção, mas ao abrir minha caixa de e-mails, ainda há pouco, o primeiro e-mail (os comentários me entram como e-mails) era o dele. Vou terminar me desviando do assunto, mas Alberta era um dos cenários de ‘Lendas de Outono’, que virou filme de Edward Zwick, ‘Lendas da Paixão’ (ao estrear no Brasil). É um dos filmes mais belos que já vi – estou falando de fotografia, e de cores -, e o jovem Brad Pitt é um assombro. O curioso é que me deu um branco na hora em que fui redigir a abertura de ontem do ‘Batman’, no ‘Caderno 2’, e fui à coleção do ‘Estado’ para checar a cidade em que o Curinga da realidade fez sua matança. Cheguei a anotar o nome, e escrevi no texto Alberta. Salvou-me a Lili, Eliana Souza, quando foi reler o texto. Não estou nem pedindo desculpas (mas estou pedindo desculpas, sim). Erro muito, mas por algum mecanismo mental que não consigo explicar, erro mais quando faço algum tipo de pesquisa. Escrevi outro dia, num post sobre teatro, que ‘Mário’ Ricca é o Boca de Ouro do projeto ‘Nelson Rodrigues, 100 anos’. Mário Ricca! Sorry, Marco – e, a propósito, ele vai fazer o próximo filme de Lina Chamie, também com Alice Braga – e teremos de novo a dupla, aliás o trio, de ‘A Via Láctea’. Em outro erro clamoroso, querendo destacar cenas que adoro de ‘Sua Incelença, Ricardo 3.º’, e é Incelença, com I, não Encelença, induzi o leitor a acreditar que os Clowns de Shakespeare é um grupo de bonecos. Ó céus! Mas tu tá queimando óleo, Merten! Desculpas aceitas (espero), vamos em frente. Vou reiterar o convite feito ontem. Espero que nos reencontremos, à tarde, no ‘Romeu e Julieta’ de Gabriel Villela. A trilha de ‘Ricardo 3.º’ é um assombro – as trilhas de Gabriel sempre são maravilhosas -, mas no Sesc Belezinho, antes do início do espetáculo dos Clowns, ele me disse para aguardar as músicas  de ‘Romeu e Julieta’. Se o próprio Gabriel promete algo especial, lá vou eu de ouvidos bem abertos.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.