As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Indicados da Mostra

Luiz Carlos Merten

26 de outubro de 2013 | 16h11

Cá estou numa lan house do Centro, recém saído da feijoada da Mostra, que foi precedida pelo anúncio dos indicados pelo público para concorrer ao Troféu Bandeira Paulista e, na sequência, por uma coletiva innformal com os integrantes do júri., Reencontrei Sergei Loznitsa, César Charlone e Monique Gardenberg, conheci finalmente o mítico Lav Diaz. Prometo retornar com essas conversas, mas agora quero só manifestar minha inconformidade com o voto do público, que deixou de fora o belíssimo Casadentro, de Joanna Lombardi. Os filmes escolhiodos pelo público foram. As ficcões – Gaiola Dourada, A Montanha Matterhorn, Estação Liberdade, La Jaula de Oro, Lições de Harmonia, Miss Violence, O Foguete, Oissa – O Fantasma É Um Viajante Solitário, Run & Jump. Somente em Nova York, The Lunchbox, Uma Vida Comum, Vida Que se Desfaz. Os documentários – 88 16 Versos,  A Fuller’s Life, Dragon Girls, Eu Vou Ser Assassinado,. Giuseppe Tornatore – Todo Filme É Meu Primeiro Filme, Mundial – As Maiores Apostas, Plano para a Paz, Rubem Braga – Olho as Nuvens Vagabundas, Tito on Ice e Vida. São filmes muito disparatados – violentos, líricos, intimistas (ou não). Ainda não vi o grego Miss Violence, mas desses filmes gosto mais de alguns – Jaula de Oro, Estação Liberdade, Lições de Harmonia. Tiago Stgivaletti me recomenda especialmente Uma Vida Comum, de Uberto Pasolini, que não sabemos se tem parentesco com Pier-Paolo, mas cujo título original, Still Life, é o mesmo de um grande filme de Jia Zhang-ke. Daqui a pouco vou ver Centro Histórico e não posso ignorar Conselheiro do Crime, o novo Rridley Scott, que estreou ontem. Elaine Guierini e Neusa Barbosa já me informaram que o filme começa com uma cena de sexo bem forte entre Michael Fassbender e Penelope Cruz. Esse Fassbernder não é mole não. Seus contratos devem prever essas cenas íntimas desde que ele brandiu suas ferramentas na tela em Shame, de Steve McQueen. No inédito 12 Years a Lave, também de McQueen, ele faz sinhozinho brutal que tem um pega violento com escrava. Vi uma entrevista dele na TV americanas em que diz que foi a cena mais difícil que já fez. Torço para que op filme de McQueen vá para o Oscar, mass não estou dando muita sorte. De qualquer maneira,  soube hoje que a Esfera vai lançar Casadentro e só isso já me deixou feliz.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.