As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Fazendo tempo

Luiz Carlos Merten

17 de novembro de 2013 | 19h42

LOS ANGELES – Fui olhar se havia algum comentario e topei, num post mais antigo, com as observacoes de Pedrita, Fernando Severo e da Paula Cunha de que simplesmente nao conseguem entrar no blog. Conseguem ler, mas naoh opinar. Ela reclama que vai direto para o spam, seja lah o que isso significa. He-he. Estou rindo para naoh chorar, porque obviamente me interessa interagir e soh ouco cobrancas dos proprios leitores de que esse sistema naoh ajuda. Estou aqui no estudio da Sony, a velha Columbia, esperando a sequencia das entrevistas de The Amazing Spider Man 2. Na verdade, falta soh um encontro com o director Marc Webb na ilha de edicaoh do filme. Amanhah volto para outra visita a ilha de edicaoh de The Equalizer, de Antoine Fucqua, com Denzel Washington. Faco tempo postando ou suitando noticias na internet, como a acusacaoh de Terrence Howard de que Robert Downey Jr. o chutou do elenco do segundo Iron Man. Confesso que sempre achei injusto que ele tivesse saido da franquia, produzida pela mulher de Downey Jr, e que talvez o tenha chutado para salvaguardar o marido.  Engracado, de todas essas franquias a do Homem de Ferro eh a que menos me interessa `defender`, digamos assim. Nao vejo muita densidade nos personagens. Eh o quadrinho do quadrinho e me pergunto se, de novo, nao tem a ver com a mulher de Downey Jr., que minimiza, para nao dizer, excluiu a questaoh da bebida, essencial no personagem, e me pergunto, se nao foi, mais uma vez, para proteger o marido, que ateh renascer no papel era considerado um `caido` em Hollywood. Seria perigoso se o publico identificasse na bebedira do Homem de Ferro a de Downey Jr., eh isso? OK, digamos que Howard naoh ameacasse Downey Jr., que, afinal, eh o heroi da franquia, mas sempre acho que a injustica vem lah de tras, porque Terrence Howard era excepcional como aquele gigolo – sempre esqueco o titulo do filme -, mas a Academia preferiu premiar o Denzel Washington de Dia de Treinamento (de Antoine Fucqua, que vou encontrar amanhah), naquele ano de celebracaoh dos atores afroamericanos. Halle Berry e Sidney Poitier (honorario) tambem ganharam Oscars, lembram-se? Jogo conversa fora. Detesto esperar e aqui nao trouxe um livro para ler. O que me distrai eh andar nessas ruinhas dentro do estudio, com posters gigantescos de classicos de Howard Hawks (Only Angels Have Wings) e Peter Lorre (Raskolnikov) e esses blocos que homenageiam diretores lendarios. Tem o Capra Building, o David Lean Building. Eh o que basta para minha imaginacao viajar…

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: