As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Em clima de despedida

Luiz Carlos Merten

24 de agosto de 2019 | 09h47

GRAMADO – Revi ontem o curta Apneia, que já havia sido premiado no Recife, e a animação de Cariol Sakura e Walkir Fernandes terminou sendo o primeiro e melhor programa da noite de ontem, no 47º Festival de Gramado. Um mergulho, literalmente, no universo feminino, a história da menina que não sabia nadar e como enfrenta, e supera, seus medos para vivenciar o mundo como mulher. O longa latino – Dos Fridas, de Ishtar Yasin, do México, conta a história da cuidadora da mítica Frida Kahlo. Elaboração formal, cuidado visual e um belo desfecho, o encontro de Frida/Judith com seus fantasmas revolucionários, mas não creio que essa particular versão de ‘quando duas mulheres pecam’ – Persona, de Ingmar Bergman – tenha feito muito sentido, pelo menos para mim. O outro curta, Amor aos 20 Anos, que o codiretor Toti Loureiro anunciou que está sendo transformado em longa, valeu sobretudo pela participação do também diretor Felipe Arrojo Poroger como ator. Uma pegada arte e vida às Domingos Oliveira, a quem Felipe dedicou a sessão, lembrando que, anos atrás, seu curta anterior abriu a sessão justamente para um longa do grande Domingos. E veio o último longa concorrente brasileiro, 30 Anos Blues, de Andradina Azevedo e Dida Andrade, que venceram o prêmio de direção com o anterior A Bruta Flor do Querer. Os diretores são também atores, os protagonistas. A síndrome de Peter Pan. Andradina desistiu de ser diretor, mas segue trabalhando com arte. O amigo Dida prefere ler naquele sofá a encarar os desafios da vida adulta. Kid Punhetinha, um curta da dupla, 2. Os moleques são meio exibicionistas, adoram se mostrar cojendo, mas dessa vez não consegui entrar no jogo, ao contrário de A Bruta Flor. Gostei do Andradina ator e do desfecho, uma reminiscência do tênis sem bola de Michelangelo Antonioni no final de Blow-Up/Depois Daquele Beijo. Estou indo para os debates e, depois, Porto Alegre! Não fico para a premiação, à noite. Amanhã, volto para São Paulo. Tenho mais viagem na segunda.

Tendências: