As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

E o trailer de O Despertar da Força? Eu embarquei…

Luiz Carlos Merten

21 Outubro 2015 | 01h34

Após o dentista e antes da cabine de imprensa de SOS Mulheres ao Mar 2, passei de manhã cedo pela redação do Estado e Guilherme Sobota me mostrou o trailer de O Despertar da Força, que foi segunda-feira à noite para a TV dos EUA, durante sei lá que jogo da Super-Bowl, com mega-audiência. Star Wars 7! Escrevi um livro – Entre a Realidade e o Artifício – para tentar mostrar que o assassinato de Marion Crane na ducha, em Psicose, é a cena mais influente do cinema. Até entendo que muita gente prefira a escadaria de Odessa de O Encouraçado Potemkin, mas não é disso que estou falando. talvez esteja errado, e Star Wars, o primeiro da série, seja o filme que mais mudou o cinema, embora se possa contestar o alcance e o significado dessa mudança. Mas eu amo a série de George Lucas. O 1, vocês devem se lembrar, pagava tributo a John Ford. A casa fumegante de Rastros de Ódio/The Searchers. O trailer de O Despertar da Força levanta a possibilidade de que tudo aquilo que sabemos de Star Wars seja lenda. Entra Harrison Ford para dizer que é verdade, sim. John Ford, de novo. Print the legend, O Homem Que Matou o Facínora. De novo, como no caso do post anterior sobre Yoná Magalhães, não posso opinar sobre as revoluções (no plural) de JJ Abrams na TV dos EUA. Mas amo tudo o que ele fez no cinema – Missão Impossível 3, Star Trek, Super 8 e Muito Barulho por Nada. Super 8 é maravilhoso, uma obra-prima, o maior filme de monstro já feito. Como será Star Wars 7? Que marcas JJ terá imprimido no universo original de Lucas.? Alguém acredita que poderá não ser bom? E, se não for, com certeza não será o primeiro bad movie que nós amamos. Só sei que o trailer de O Despertar da Força me deixou tinindo.