As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

E o prêmio da crítica (de NY) foi para…

Luiz Carlos Merten

04 de dezembro de 2012 | 14h23

A Associação dos Críticos de Nova York acaba de divulgar sua lista de melhores do ano. ‘Zero Dark Thirty’, de Kathryn Bigelow, foi o número um – bem que gostaria de ter visto o filme no fim de semana, mas não havia pré-estreia e nem na semana que vem, quando volto a Nova York, ele estará em cartaz. Vi o trailer e fiquei impressionado. Aliás, vi um monte de trailers, incluindo o novo ‘Mágico de Oz’, com James Franco, que nem sabia que estava sendo feito. e ‘The Impossible’, um filme de terror de J.A. Bayona com Naomi Watts e Ewan McGregor como casal que conhece o inferno no tsunami, na Ásia. O que são as imagens de ‘The Impossible’? Terríveis, posso garantir. De volta a Kathryn, desde seu começo ela sempre teve uma direção de cena forte, como se quisesse mostrar, e efetivamente mostra, que mulheres diretoras conseguem ser mais ‘viris’ do que a maioria dos homens de Hollywood. ‘Zero Dark Thirty’ é de cair o queixo. Tóóóiimmm… Daniel Day-Lewis foi escolhido o melhor ator pela crítica, e ele é realmente excepcional como Lincoln, no novo Steven Spielberg. Rachel Weisz foi a melhor atriz, por ‘The Deep Blue Sea’, e ‘Amor’, de Michael Haneke, o melhor filme estrangeiro. Confesso que não gostei tanto do Haneke, que vi em Cannes, onde ganhou a Palma de Ouro, mas admito que tenho uma implicãncia com o diretor (menos em ‘A Fita Branca’). Não me surpreende, porém, que seu filme tenha causado verdadeira comoção entre a crítica norte-americana. ‘Amor’ vai repetir o fenômeno ‘O Artista’ no próximo Oscar? Não creio, mas é muito provável que Haneke seja indicado para melhor diretor. Sally Field venceu o prêmio de melhor atriz coadjuvante por ‘Lincoln’, e eu espero que ela vá para o Oscar e vença, senão pelo Spielberg pela tia de ‘O Homem Aranha’, que é muito boa. Mas não vai ser fácil – Anne Hathaway está poderosa como a Fantine de ‘Les Misérables’. Face aos elogios da crítica, pensei que ‘Guardiões’ talvez ganhasse o prêmio da categoria, mas tenho de admitir – ‘Frankweenie’, que venceu, é o melhor Tim Burton desde… Nem me lembro, mas, com exceção do ‘Barbeiro’, há tanto tempo não gosto dos filmes dele que só bem lá atrás, na época de ‘Edward Mãos de Tesoura’ e ‘Ed Wood’, me vem a lembrança de como ele já foi bom.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.