As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

E agora?

Luiz Carlos Merten

27 de outubro de 2013 | 13h05

Tirei ingresso para ver hoje, daqui a pouco – 14 horas -, Exilados do Vulcão, de Paula Gaitán, mas vai bater com minha entrevista com Park Chan-wook. E agora, meu Deus? Chan-wook não é cara de se dispensar, mas eu confesso que estou louco para ver o filme. Registrei ontem minha inconformidade pelo fato de o público da Mostra não haver pré-selecionado o longa de Joanna Lombardi, Casadentro. Mas ontem, na feijoada da Mostra, conversando com Maria do Rosário Caetano, nem ela – Maria do Rosário! -, louca por cinema latino, viu o filme da Joanna. Mas, sosseguem, ele foi comprado e vai ter lançamento comercial. Me passou batido, mas um dos selecionados do público foi um filme do qual gostei muito nas cabines de imprensa – O Foguete, que Kim Mordaunt, não sei se é homem ou mulher (o nome é dúbio), rodou no Laos, embora seja (ele ou ela), australiano(a). É um filme tão bonito, uma história de pai e filho. E por falar em Tal Pai, tal Filho, fomos jantar ontem – Dib Carneiro, Carlos Heli de Almeida, Elaine Guerini e eu – num tailandês bem bacana ali nos Jardins. Elaine contou as novidades do Festival de Tóquio, a cultura tradicional japonesa virou tema de discussão e a Elaine contou que Steven Spielberg, que presidia o júri de Cannes e premiou o longa de Hirokazu Kore-eda, adquiriu os direitos de filmagem e vai fazer uma versão americana de Tal Pai tal Filho, que é ótimo. O filme foi pré-selecionado pelo Japão para o Oscar. Está na Mostra. Vocês viram?

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.