As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

E a Casa Branca, hein?

Luiz Carlos Merten

19 de abril de 2013 | 20h25

CANCUN – Andei um bocado, quer dizer, o taxi andou, para assistir num cinema no maior shopping daqui, em Downtown, a Invasao da Casa Branca, de Antoine Fuqua, com Gerard Butler como o agente que salva a America. Nao eh um filme defensavel para criticos, ou pelos criticos, com seu vilao infiltrado no governo da Coreia do Sul, mas quero dizer que, como espetaculo de acao, tem seu valor. Fuqua eh um director interessante e constroi seu filme numa escalada que vai do intimo ao epico. Butler tem um segundo para decidir, no comeco, o que fazer e ele sacrifica a primeira-dama (Ashley Judd) para salvaguardar o presidente Aaron Eckhart. Afastado da seguranca presidencial, amarga seu exilio no Departamento do Tesouro, mas volta aa Casa Branca quando os tais coreanos – os inimigos da vez – a invadem e iniciam uma carnificina. O heroi ganha sua segunda chance, salva o filho do presidente, que sempre foi como um filho para ele, recupera a estima de Aaron Ekhart, salva a America e o mundo, tudo muito bem filmado por Fuqua e com alguns aspectos interessantes. Agora mesmo, aqui no Mexico, vou entrevistsar daqui a pouco a Roland Emmerich, que veio mostrar White House Down, com uma trama parecida, na qual o agente Channing Tatum, tambem banido do servico secreto, vai salvar Jamie Foxx, que, no espaco de um filme, saltou de escravo (em Django Livre)  a presidente. Achei curioso que no filme de Fuqua, um afroamericano, o presidente seja branco, mas seu interino eh um negro, Morgan Freeman, que toma as decisoes dificeis, num momento crucial. Quero dizer que nao vou defender Invasao da Casa Branca, mas gostei de ter visto o filme, que me parece, mesmo ter visto o Emmerich, alguma coisa mais real, se eh que se pode dizer assim. Emmerich, mais uma vez, explode o mundo – com sua vocacao para disaster movies – e soh no trailer a todo momento fiquei esperando pelos ETs, porque aquela escala de invasao eh mesmo coisa de outra galaxia. Hoje, nas mesas redondas, talvez nao tenha chance de comentar nada com o director, mas amanhah, na individual, quem sabe? Mais ateh do que a ameaca coreana, estou achando meio esquisita essa obsessao pela invasao da Casa Branca, nao importa a etnia do presidente. Hollywood estah achando que as instituicoes nao estao resguardadas sob Obama? Ainda bem Morgan Freeman e Jamie Fox estao a postos. O problema nao eh bem racial, mas, entaoh, eh o que?

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: