As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Diário de Cannes (7)

Luiz Carlos Merten

15 de maio de 2014 | 10h36

Festival de Cannes

CANNES – Excepcionalmente, nesta sexta-feira, o festival apresenta apenas um filme da competição, mas é para dar tempo ao público, e principalmente à imprensa, de prestigiar as demais seções. Estão todas começando hoje – Um Certain Regard, Quinzena dos Realizadores, Semana da Crítica, Cannes Classics.  O filme de abertura de Um Certo Olhar parece seguir a vertente de Glória, do chileno Sebastian Lelio, e antes dele, de Irina Palm, de Sam Garbarski, pelo qual Marianne Faithfull deveria ter recebido o prêmio de melhor atriz em 2007, em Berlim – prêmio que Paulina García, a Glória, recebeu no ano passado.  Party Girl, de Marie Amachoukeli, Claire Burger e Samuel Theis, conta a história de uma p… – não dá para dizer prostituta, vocês vão entender quando virem o filme – que tem a chance de se casar, adquirir respeitabilidade, reunir os filhos dispersos,  mas ela não é Grace de Mônaco, que assume um papel e o vive. Angélique já entrou na melhor idade, que não é melhor coisa nenhuma. Quer voltar ao cabaré, a ser p… Os filhos a conhecem melhor que ela mesma. Um desconfia do conto de fadas de mamãe, acha que aquilo não vai dar certo. Outro a recrimina por falar de amor como uma garota de 14 anos. Amadurecer é assumir responsabilidades, coisa que mamãe não vai fazer nem morta. Achei o filme interessante, bem feito, a atriz é boa, mas saí da Salle Debussy na maior depressão. Angélique não afirma sua liberdade nem rejeita a condição de pequeno-burguesa. Quer ser só essa patética velhusca que assedia rapazes e ainda se acha. Temo parecer reacionário, mas o tema de Party Girl, como o vi, é a alienação, Deus me livre. Cannes Classics decolou com Nagisa Oshima, na fase nouvelle vague – Contos Crueis da Juventude, de 1960. Cruel, sim, mas belo. Agora é esperar por Oito e Meio, de Federico Fellini. Marcello Mastroianni, como Guido Anselmi, fornece a imagem ao cartaz do festival neste ano. O filme, restaurada, é aquela maravilha.  Inaugura, às 21h30, o Cinema da Praia.

Tudo o que sabemos sobre:

Festival de Cannes

publicidade

publicidade

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: