As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Diário de Cannes (41)

Luiz Carlos Merten

26 de maio de 2014 | 07h44

PARIS – Vocês vão estranhar que, apesar da procedência – Paris, onde cheguei ontem -, este post ainda vá tratar de Cannes. Mas existem a Palma Queer e a Palme Dog. Houve muitos filmes com cães na seleção de Cannes, deste ano, incluindo Roxy Miéville, o cão de M. Godard e Anne-Marie, em Adieu au Langage, que inspira uma das muitas citações de Jean-Luc. Essa bem de Buffon. O cão é o único ser da criação que ama mais o homem que a si mesmo. Malgré ça, Roxy não venceu a Palma Dog, tendo de se contentar com o prêmio especial do júri, que também atriobuiu uma menção a Moujik, o cão de Saint Laurent. Comentei com Bertrand Bonello – aí foi a vez de citar meu amigo Carlos Eduardo, de Londrina – que ele havia inventado a overdog. O cão do estilista morre de overdose, depois de ingerir os  comprimidos que Saint Larent e o amante (Louis Garrel) terminam espalhando pelo chão, durante sua tórrida cena de sexo. Boinello acrescentou que cronometrou. Queria que o beijo de língua dois dois, um enrolando a língua na do outro, durasse dois minutos(dois!) e os m oços fizeram direitinho. De volta a Moujik, o diretor também disse que o cão ator tomou um alucinógeno. Sabe-se lá o que viu, mas deve ter gostado, porque depois não parava de se esfregar no assistente que lhe deu a droga, como quem pede mais. E a Palme d’Or foi para… White God, rebatizado como White Dog, do húngaroi Kornel Mundruczó. Uma parábola sobre o racismo no mundo contemporâneo, por meio da discriminação de cães e eles se organizam para combater os humanos, tipo um Planeta dos Macacos. Vira A Cidade dos Cães, Varsóvia saqueada e deserta, como nunca se viu na tela. White God ganhou o prêmio da seção Um Certain Regard, e para ser honesto não gostei muito das premiações do júri de Pablo Trapero, mas o cão e a menina são demais. Eles são separados no começo pelo pai dela. Vivem cada um a sua via-crúcis até o reencontro que encerra o filme em aberto (e em suspense). O cão e a garota são melhores que o filme. A Palma Dog, como a de Ouro, foi bem dada.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: