As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Diario da Croisette (21)

Luiz Carlos Merten

24 de maio de 2013 | 06h04

CANNES – Cah estou um tanto decepxcionado, depois de assistir ao James Gray. Naoh que The Immigrant seja ruim. O filme tem uma bela ambientacao em Nova York, no comeco do seculo passado, mas confesso que a historia das duas irmas nao me apanhou, pelo menos como esperava ser apanhado. O filme comeca com a chegada das polonesas – as polacas – a Ellis Island. A irmah de Marion Cottilard eh colocada de quarentena, por tuberculose, ela entra na fila para ser expulsa pelo que teria sido sua mah conduta no navio, mas eh ajudada por Joaquin Phoenix e, na verdade, ele a transforma numa prostituta. O filme eh sobre a expiacao dos pecados, a culpa, o amor nao correspondido. Phoenix, no limite, ama Marion e se sacrifica por ela, mas antes a usa, abusa dela. E existe Jeremy Renner, primo de Phoenix, que tambem se apaixona por ela. Outra historia de familia, outro triangulo, mas The Immigrant me deixou sur ma faim, como dizem os franceses. Ainda faltam dois concorrentes,. Jim Jarmusch e Roman Polanski, dois diretores que nao sao negligenciaveis, mas Polanski eh sempre uma incognita. Tanto pode apresentar the best como algo somente correto, que deixe a gente se perguntando durante anos por que raios ele faz determinados filmes. Por enquanto, meus candidatos sao Abdellatif Kechiche, Jia Zhang-ke, Paolo Sorrentino e Hirokazu Kore-eda. Tem mais um que estou me esquecendo, mas sei que justamente esse quinto – ah, o branco mental – eh outro em que ponho feh. Daqui a pouco me lembro.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.