As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Diario da Croisette (16)

Luiz Carlos Merten

22 de maio de 2013 | 05h55

CANNES – Puta decepcao o Only God Forgives de Nicolas Winding Fern. O filme eh um thriller (um noir?) ritualistico desenrolado na Tailandia, onde Ryan Gosling e o irmao usam local de lutas como fachada para o trafico. O irmao anuncia de cara que vai fazer uma descida ao inferno. Bate em todos os bordeis da cidade em busca de meninas de 14 anos `to fuck`. Promove um banho de sangue, eh morto. Mamae, Kristin Scott Thomas, loira como Isabella Rossellini em Coracao Selvagem, chega para se vingar. Quando Ryan lhe diz que o irmao estuprou e matou uma garota de 16, sua resposta eh de que ele deve ter tido seus motivos. Winding Fern fez um filme que eh um exercicio de estilo. Hah um chefe de policia perito no sabre e que, entre um estripamento e outro, canta num karaokeh. A bizarrice dos personagens, as relacoes familiares (pai/filha, mae/filho), a puta velha (e loira), as perversoes, tudo remete a David Lynch, mas Winding Fern dedica seu filme a Alejandro Jodorowsky. Jah que muita gente tem as maos decepadas na historia, uma boa definicao eh que eh um daqueles filmes que dao vontade de cortar os pulsos. O filho fraco, que se oferece para sacrificio, a mae poderosa que, no desfecho, nao… Cala-te, boca. Eta filmezinho estiloso, e ruim. Alias, a selecao de `genero` de Thierry Fremaux estah de lascar. Parece sob medida para banir esse tipo de filme da competicao. Cannes e nos merecemos melhor.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.